O Atlético cumpriu seu papel. Jogou em casa, venceu o Vasco por 3×1 neste domingo (19) e mantém a esperança da classificação para a Copa Libertadores do ano que vem. Pelo G7 a situação é difícil, pois o Botafogo, atualmente sétimo colocado, tem quatro pontos de vantagem, mas o Furacão voltou ao bolo e pode se aproveitar de uma possível ampliação do grupo de classificados, caso o Grêmio conquiste a Libertadores e o Flamengo leve a Copa Sul-Americana.

Confira como foi o jogo no Tempo Real da Tribuna!

Apesar de ter usado Pablo como titular nas últimas partidas, de Sidcley ter marcado o gol contra a Ponte Preta e de Felipe Gedoz estar à disposição, Fabiano Soares escalou o Atlético com Lucas Fernandes e Douglas Coutinho. Era um time de muita velocidade para tentar vencer a marcação do Vasco.

Thiago Heleno marcou o gol do Atlético. Foto: Marcelo Andrade
Thiago Heleno marcou o gol do Atlético. Foto: Marcelo Andrade

A partida começou à toda. Apostando nas jogadas pelas laterais, o Furacão foi chegando aos poucos. Ia mais errando que acertando – em duas oportunidades, ambas com liberdade, Lucho González e Matheus Rossetto erraram. Mas quando o Rubro-Negro teve um escanteio e a bola sobrou para Thiago Heleno, não teve erro. O General chutou e abriu o placar.

Mas logo depois o Vasco partiu pra cima. Weverton fez um milagre no chute de Paulinho. Veio outro escanteio, Weverton salvou de novo na cabeçada de Andrés Rios, e quando segurou a bola, Wanderson veio como um maluco e chutou a bola para dentro do gol. Um gol contra inacreditável, tudo igual na Arena.

E tudo agitado. O Atlético tomava a iniciativa, jogava ofensivamente, buscava o gol. Ederson e Guilherme tiveram chances de recolocar o time na frente. Mas se encontrava espaços para atacar, os donos da casa também eram vulneráveis, e assim o Vasco chegava, o que deixava a partida no famoso “lá e cá”. Mas era o Furacão que chegava mais perto. Aos 36, Douglas Coutinho cabeceou e Martín Silva esteve a pique de levar um frango. O uruguaio se redimiu no finalzinho do primeiro tempo, quando Ederson chutou no canto e o goleiro defendeu.

Na etapa final, muitas faltas, erros de passe e pouca qualidade. O Atlético era mais uma vez uma equipe sem criatividade, o que estourava em Ederson, que tinha recebido uma bola em condições de arremate em todo o jogo. Aí, meio a contragosto, o treinador colocou quem a torcida queria. Entrou Felipe Gedoz, justamente no lugar de Ederson.

Veja como está a classificação do Campeonato Brasileiro!

Enquanto isso, Wanderson continuava errando. Deu um “passe” para Wagner, que quase virou o jogo para os visitantes. Mas quem marcou foi o Furacão. Douglas Coutinho dominou na entrada da área e mandou no ângulo, sem chances para Martín Silva. E o jogo foi resolvido instantes depois. Felipe Gedoz, como sempre decisivo, cobrou escanteio na cabeça de Fabrício. O lateral, que tinha sido muito vaiado, não comemorou, mas a torcida sim, e viu o time ainda estar firme na briga pela Libertadores. E na torcida por Flamengo e Grêmio.

Ficha técnica

BRASILEIRÃO
2º Turno – 36ª Rodada

ATLÉTICO 3×1 VASCO

Atlético
Weverton; Jonathan, Wanderson, Thiago Heleno e Fabrício; Matheus Rossetto, Lucho González (Eduardo Henrique), Lucas Fernandes (Sidcley), Douglas Coutinho e Guilherme; Ederson (Felipe Gedoz).
Técnico: Fabiano Soares

Vasco
Martín Silva; Gilberto, Breno (Rafael Marques), Paulão e Henrique; Wellington, Jean (Evander), Nenê, Wagner (Yago Pikachu) e Paulinho; Andrés Rios.
Técnico: Zé Ricardo

Local: Arena da Baixada
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho (SP)
Assistentes: Daniel Paulo Ziolli (SP) e Daniel Luís Marques (SP)
Gols: Thiago Heleno 15 e Wanderson (contra) 17 do 1º; Douglas Coutinho 18 e Fabrício 23 do 2º
Cartões amarelos: Guilherme (CAP); Jean, Wellington (VAS)
Renda: R$ 246.855,00
Público total: 9.991