O Atlético segue seu calvário na disputa do Campeonato Brasileiro. Sem inspiração ofensiva e novamente com muitas dificuldades, o Furacão perdeu para o modesto time da Ponte Preta por 2×0, na noite deste domingo (23), na Arena da Baixada, permaneceu com 17 pontos e pode entrar na zona de rebaixamento nesta segunda-feira (24). Para isso não acontecer, o time rubro-negro precisa torcer para que o São Paulo não vença o Grêmio, no Morumbi.

Agora, a equipe de Fabiano Soares vira a chave e encara, nesta quinta-feira (27), novamente em casa, o Grêmio, pelo duelo de volta das quartas de final da Copa do Brasil. No jogo de ida, 4×0 para o tricolor gaúcho. Por isso, o Atlético precisa pelo menos repetir o placar para levar a decisão para as penalidades.

Confira como foi o jogo no Tempo Real da Tribuna!

O primeiro tempo foi de ataque contra defesa na Arena. O Atlético, com mais posse de bola, controlou a partida, mas não foi efetivo o suficiente para transpor a retranca imposta pela Ponte Preta. Reforçado pelo atacante Ribamar, mas sem criatividade, o Furacão abusou das bolas alçadas na área. Aos 8 minutos, Nikão cobrou escanteio e Pablo cabeceou com perigo. Na sequência, em outro cruzamento do camisa 11, foi a vez de Ribamar cabecear para fora.

Cada vez mais retrancada, a Macaca estava pronta para dar o bote e busca os contra-ataques, mas não teve sucesso na sua estratégia. Com a torcida atleticana ensaiando vaias na Arena, o Rubro-Negro seguiu pressionando em busca do primeiro gol. Aos 20, Sidcley cruzou, Nikão cabeceou e Aranha salvou os visitantes.

Com muitas dificuldades no meio de campo e para furar a defesa da Ponte Preta, o Atlético criou uma das suas melhores chances quando resolveu colocar a bola no chão. Aos 33, Rossetto, da entrada da área, arriscou e o goleiro Aranha garantiu o empate sem gols na etapa inicial.

Estrante da noite, Ribamar pouco conseguiu fazer pelo Atlético. Foto: Marcelo Andrade
Estrante da noite, Ribamar pouco conseguiu fazer pelo Atlético. Foto: Marcelo Andrade

Com Matheus Anjos na vaga de Douglas Coutinho, o Furacão precisava, no segundo tempo, de mais criatividade no meio de campo. Mas quem foi logo marcando foi a Ponte. Aos 6 minutos, Renato Cajá serviu Lucca, que contou com a falha do zagueiro Thiago Heleno e tocou na saída de Weverton para abrir o placar na Arena.

Se o empate já era ruim, o gol do adversário, pressionou ainda mais o Atlético. Não tinha outra alternativa a não ser partir para cima. Aos 11, Pablo chutou de fora e Aranha salvou. Na sobra, Matheus Anjos bateu forte e o goleiro da Macaca fez outra grande defesa.

A Ponte Preta, em vantagem e diante de um adversário desesperado e pressionado pelo torcedor, tinha o jogo que queria. Mas o Atlético, ainda sem criatividade, insistia nas bolas alçadas na área e que eram bem controladas pela Macaca. O técnico Fabiano Soares, para aumentar a presença ofensiva, apostou na entrada do atacante Eduardo da Silva, para protestos do torcedor.

Na primeira chance de perigo do novo atleta em campo, Matheus Anjos cruzou, mas o atacante atleticano, livre, cabeceou no meio do gol. O Rubro-Negro seguiu pressionando cada vez mais, mas tinha pela frente o goleiro Aranha em noite inspirada. Aos 37, Matheus Anjos arriscou de fora da área e o arqueiro do time de Campinas fez outra grande defesa.

Confira a tabela atualizada do Brasileirão!

Se não dava na técnica, tinha que ser na vontade. Foi assim que o Atlético tentou pressionar ainda mais em busca do empate. Aos 41, Felipe Gedoz, de fora da área, chutou forte e a bola saiu por pouco. Na sequência, o meia rubro-negro, da entrada da área, bateu cruzado e Aranha fez outra grande defesa.

Mas a situação ainda podia ficar pior. Nos acréscimos, Jádson sofreu penalidade e Lucca bateu bem para ampliar a vantagem e garantir a vitória na Arena.

FICHA TÉCNICA

BRASILEIRÃO
1º Turno – 16ª Rodada

Atlético 0x2 Ponte Preta

Atlético
Weverton; Cascardo, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Eduardo Henrique, Matheus Rossetto, Nikão (Felipe Gedoz), Pablo (Eduardo da Silva) e Douglas Coutinho (Matheus Anjos); Ribamar.
Técnico: Fabiano Soares

Ponte Preta
Aranha; Jeferson, Marllon, Rodrigo e Danilo Barcellos; Naldo, Elton, Léo Artur (Jádson) e Maranhão (Kadu); Claudinho (Renato Cajá) e Lucca.
Técnico: Gilson Kleina

Local: Arena da Baixada
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (PB)
Assistentes: Roberto da Silva Santos (PB) e Kildenn Tadeus Morais de Lucena (PB)
Gols: Lucca, 6 e 48 do 2º;
Cartões amarelos: Eduardo Henrique, Thiago Heleno (CAP); Léo Artur, Aranha (PON)
Público pagante: 13.661
Público total: 15.621
Renda: R$ 197.050,00