O elenco do Atlético está decidido a lutar por uma vaga na Libertadores de 2019, via Campeonato Brasileiro, até a última rodada da competição. Essa seria uma decisão natural de se pensar, já que o time está com 46 pontos e segue vivo na luta pelo G6. Porém, a atitude faz oposição à declaração do diretor de futebol do Furacão, Rui Costa. O dirigente falou, há algumas semanas, que o foco do time seria ‘apostar as fichas‘ em conquistar a tão sonhada vaga por meio da Sul-Americana.

Após a derrota para o Internacional, por 2×1, no dia 4 de novembro, com direito a pênalti polêmico nos acréscimos que decretou a derrota do Rubro-Negro, Costa ‘soltou o verbo‘ declarando que o Atlético vem sendo repetidamente prejudicado no Brasileirão.

Rui Costa tinha ficado na bronca com a arbitragem no Brasileirão. Foto: Jonathan Campos.
Rui Costa tinha ficado na bronca com a arbitragem no Brasileirão. Foto: Jonathan Campos.

“Nosso grupo é comprometido e consciente da necessidade de trocar o ‘chip’. Estamos preparados para isso e temos que focar em ser campeão da Sul-Americana, porque no Campeonato Brasileiro a CBF não vai deixar o Atlético conquistar essa vaga (na Libertadores)”, falou o dirigente na ocasião, criticando a Confederação Brasileira de Futebol.

+ Leia também: Em fase artilheira, Veiga divide méritos com todo o elenco

A cúpula do Atlético contestou fortemente duas arbitragens, em especial, no Brasileiro. No jogo contra o Santos, que aconteceu no dia 30 de setembro, na Vila Belmiro, um pênalti a favor do Peixe foi assinalado já nos acréscimos e determinou a derrota do Rubro-Negro. O árbitro Caio Max Augusto Vieira sofreu uma espécie de punição da CBF e foi ‘rebaixado‘ para apitar jogos da Série B.

Já na partida contra o Internacional, o Atlético saiu na frente, mas sofreu o empate. Também nos acréscimos, uma penalidade duvidosa foi assinalada pelo árbitro Rodrigo D’Alonso Ferreira. Ao final do jogo, Costa desabafou.

+ Confira também: Atlético terá pela frente maratona contra times que brigam contra o rebaixamento

“Falar do jogo é difícil. Poderia adjetivar e falar tudo o que disse quando tivemos aquela situação contra o Santos. Tivemos novamente um árbitro desqualificado para uma partida tão importante. E quem escolhe esses árbitros é a CBF”, disse, criticando a instituição e dando a entender que dificilmente o Rubro-Negro teria chance de acreditar na vaga via Brasileirão.

Porém, vindo de uma vitória no último fim de semana, em cima do Cruzeiro por 2×0, que chegou a deixar o time provisoriamente entre os seis primeiros, os jogadores estão motivados a acreditar na conquista, como falou o meia Raphael Veiga.

“Com essa vitória estamos bem mais perto de nos classificarmos para a Libertadores pelo Campeonato Brasileiro”, disse o camisa 7.

+ Veja a tabela e a classificação do Brasileirão!

Restando agora cinco rodadas para o fim do Brasileirão para fechar no G6, o Atlético enfrenta o Vasco nesta quarta-feira (14), em São Januário, depois vai à Salvador para encarar o Vitória, então recebe o Corinthians na Arena da Baixada, na sequência também duela com o Ceará em casa, e fecha a disputa diante do Flamengo, no Rio de Janeiro. Já na Sul-Americana, para garantir vaga na Libertadores, o time precisa confirmar a presença na final no jogo de volta contra o Fluminense (na ida da semi o Furacão venceu por 2×0) e, após isso, se consagrar campeão.

Para o atacante Marcelo Cirino, o Atlético tem totais condições de brigar pelo G6 na Série A e vai lutar para isso.

“Temos certeza que podemos chegar ao nosso objetivo. Basta continuar fazendo nosso trabalho bem feito. Está tudo indefinido e muitas coisas podem mudar. Então, temos que seguir pensando em conquistar uma vaga para a Libertadores”, disse o jogador.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!