O Atlético vai colocar à prova seu bom momento no Campeonato Brasileiro no clássico diante do Coritiba, nesta quarta-feira (29), às 21h, no Estádio Couto Pereira. Diante do rival afundado na zona de rebaixamento e ocupando a penúltima posição na classificação da competição nacional, o Furacão vai testar também seu nível de maturidade, já que fora de casa o time rubro-negro ainda tem deixado a desejar.

O técnico Paulo Autuori ressaltou a evolução do time atleticano neste sentido e citou o controle que o Furacão teve na vitória sobre o Grêmio por 2×0, na Arena da Baixada. O comandante, porém, afirmou que quer tirar mais da equipe rubro-negra para a sequência da temporada.

“Se eu falar que adquiriu a maturidade, estou sendo pretensioso demais. O que mais me anima é saber que há margem de progressão. Sinto que podemos fazer muito mais. No último jogo, a equipe controlou. Individualmente, foi o melhor jogo. Mas dizer que adquiriu essa maturidade, ainda não, estamos a caminho”, declarou Autuori.

O meia-atacante Nikão, que voltou ao time diante do tricolor gaúcho, garantiu que o Furacão está calejado para encarar o Coritiba no Alto da Glória. O jogador frisou que em um clássico como esse, sobretudo pela condição ruim do rival, pode ser determinante para a continuidade da equipe na temporada.

“É um jogo diferente e um clássico pode te colocar lá em cima como pode te colocar lá em baixo. Nos últimos clássicos tanto quando ganhamos quanto quando perdemos, a gente está calejado. Agora, já sabe como tem que entrar para jogar, como tem que se impor dentro de campo”, emendou Nikão, que garantiu que não há favorito para o clássico contra o Coxa.

“Não só pela situação do nosso adversário, mas é difícil falar quem ganha e quem não ganha. No estadual, ninguém falava que a gente seria campeão, até pelo momento do adversário. Então, não tem favorito. A gente tem que ser competitivo, entrar sabendo que vai ser uma guerra, um jogo bastante competitivo”, concluiu Nikão.