Precisando vencer o Paraná Clube para não depender de ninguém para se classificar para a próxima fase do Campeonato Paranaense, o Atlético terá força máxima no clássico contra o Tricolor, nesta quarta-feira (29), às 21h45, na Vila Capanema.

A escalação da equipe que está jogando na Libertadores já fazia parte do planejamento da comissão técnica, uma vez que os jogadores ficariam inativos quase um mês entre o duelo contra o San Lorenzo, que o Furacão venceu por 1×0, e o compromisso com o Flamengo, no dia 12 de abril, no Maracanã. Porém, a tendência é que, caso o Rubro-Negro se classifique, a tendência é que o time principal seja utilizado durante todo o mata-mata, apenas com mudanças pontuais, dependendo de cada jogador.

“Na quarta-feira a gente vai levar a equipe principal. Dando tudo certo, com a gente se classificando, é provável que a equipe passe a atuar também no Estadual, além da Libertadores. Mas claro que vamos estar sempre atentos ao estado físico dos jogadores e não vamos expor ninguém a algum tipo de lesão”, explicou o auxiliar-técnico Bruno Pivetti.

Com apenas duas vitórias em dez rodadas, o Atlético encontrou dificuldades em praticamente todos os jogos. Algo já esperado pela comissão técnica e que serviu para dar experiência para a garotada.

“Isso faz parte do processo de aprendizagem. Lidamos com jogadores jovens, que ainda oscilam em alguns momentos. Esperávamos dificuldades, sim, porque sabíamos da qualidade das equipes que iríamos enfrentar, mas tirando os erros individuais, que são erros normais se levar em conta a idade dos jogadores que temos à disposição, poderíamos estar em um cenário melhor na tabela”, completou Pivetti.

Leia também: Saiba o que o seu time precisa nesta última rodada do Campeonato Paranaense