A exemplo do que aconteceu no clássico Atletiba, a torcida atleticana atendeu o apelo da diretoria do Atlético e foi em grande número na Arena da Baixada, ontem à noite, para o duelo contra o São Paulo, pelo Brasileirão. Porém, o público presente contra o time paulista de 19.971 não ultrapassou o número do jogo contra o Coritiba, que contou com pouco mais de 26 mil pagantes, mas já marcou um dos melhores do clube desde que o estádio foi reformado e ampliado para ser palco da Copa do Mundo do ano passado.

O torcedor atleticano provou que não esquecerá tão cedo da final da Libertadores da América de 2004, quando na final contra o São Paulo, o primeiro jogo decisivo aconteceu no Beira-Rio, em Porto Alegre por causa da falta de capacidade da Arena da Baixada naquele ano. Os gritos da torcida rubro-negro insinuavam que o tricolor paulista “fugiu do caldeirão” na primeira partida da decisão da competição continental daquele ano.

Além do bom público que se repetiu na Arena da Baixada, o Atlético voltou a provar a força de jogar ao lado do torcedor atleticano e manteve a invencibilidade jogando em casa neste Campeonato Brasileiro. Agora, nos seis jogos que disputou, o Furacão conseguiu cinco vitórias e um empate, ou seja, 84% dos pontos conquistados pelo time do técnico Milton Mendes foram conquistados no Joaquim Américo.

Gustavo sai ovacionado

Criticado nas últimas atuações do Atlético, sobretudo na derrota sofrida para a Ponte Preta, no domingo, e candidato a deixar o time para a entrada do zagueiro chileno Christián Vilches, o zagueiro Gustavo foi ovacionado pela torcida atleticana no duelo de ontem, contra o São Paulo, na Arena da Baixada. O jogador, que passa por um momento de instabilidade na disputa do Campeonato Brasileiro, foi o personagem principal do primeiro tempo da partida contra o tricolor paulista.

Gustavo, que chegou ao Atlético no ano passado vindo do rival Paraná Clube, começou a ser decisivo na metade do primeiro tempo quando, em cima da linha, tirou a bola que seria o primeiro gol do São Paulo no chute de Paulo Henrique Ganso. O jogador, naquele momento,já teve seu nome gritado pelo torcedor que compareceu em bom número à Arena da Baixada.

Depois, se não bastasse a boa atuação de Gustavo na defesa, o zagueiro rubro-negro, bem posicionado na área, marcou o gol que abriu a vitória do Furacão contra o São Paulo. O jogador aproveitou o cruzamento de Nikão e, bem posicionado, precisou até se abaixar para cabecear para o gol e fazer seu primeiro gol neste Campeonato Brasileiro.

O homem! Leia mais do Atlético na coluna do Mafuz!