Em uma partida movimentada, com direito a pênalti perdido, expulsão e gol quando tinha um jogador a menos em campo, o Atlético venceu por 2×0 o Peñarol, do Uruguai pela segunda fase da Sul-Americana. No jogo de ida entre as equipes, o Rubro-Negro soube jogar sob pressão e conseguiu uma importante vantagem para o duelo decisivo entre as equipes. Com gols de Marcelo Cirino e Pablo, os dois no segundo tempo, o Furacão vai confiante para o confronto de volta, que acontecerá no dia 7 de agosto, em Montevidéu, e definirá quem segue para as oitavas de final da competição.

O primeiro tempo foi frustrante para o Rubro-Negro, que, apesar de dominar e criar chances claras para ficar na vantagem, acabou desperdiçando e saiu no prejuízo com a expulsão de Wanderson no lance final.

Aos 5 minutos, uma falta perigosa para o Peñarol. Gonzalo Freitas cobrou bem e Santos teve que se esticar para espalmar a bola pela linha de fundo.

Confira como foi a vitória do Atlético sobre o Peñarol!

Aos 8 minutos, Marcelo Cirino foi derrubado dentro da área por Formiliano e o árbitro assinalou pênalti para o Atlético. Bergson queria bater e fez cara feia quando Raphael Veiga pegou a bola. Lucho tentou dar a bola para o centroavante atleticano, mas o técnico Tiago Nunes mandou o meia bater. Era a chance para que o Atlético abrisse o placara, mas Veiga bateu rasteiro, no canto esquerdo, facilitando para o goleiro Kevin Dawson. O arqueiro espalmou, mas nenhum jogador do Atlético conseguiu finalizar.

Minutos depois, aos 13, uma discussão movimentou a lateral-esquerda do campo de jogo do Furacão. O zagueiro Paulo André fez falta em cima de Gabriel Fernández, e a ação foi motivo para que jogadores dos dois times começassem a se desentender. Para evitar que o ânimos ficassem mais exaltados, o juiz amarelou os jogadores envolvidos no lance da falta.

Aos 42, Marcelo Cirino arranca pela direita, se livra dos marcadores e tenta cruzar na área para Veiga, mas os defensores do time uruguaio fazem o corte.

Foto: Albari Rosa.
Foto: Albari Rosa.

No último lance da primeira etapa, Wanderson, na tentativa de cortar o avanço do time uruguaio, subiu o pé e acertou o rosto do adversário. O juiz deu vantagem para que o Peñarol finalizasse e, depois do desfecho, com o chute de Hernández e boa defesa de Santos, o árbitro amarelou, mais uma vez, o zagueiro. Como Wanderson já tinha um amarelo, foi expulso no apito final do primeiro tempo.

Mas a sorte do Furacão mudaria completamente na segunda etapa.

Tentando suprir a ausência do defensor, Tiago Nunes colocou o zagueiro Léo Pereira e sacou Marcinho da equipe, já que teria que encarar 45 minutos mais os acréscimos em desvantagem.

Aos 11 minutos, Renan Lodi sofre falta e reclama, porque quando já estava caído leva uma bolada nas costas chutada por Hernández. Outro princípio de confusão, mas o árbitro evita que a confusão fosse maior.

Aos 13, Santos chuta pra frente com força e a bola vai sobrando do lado direito, no ataque atleticano. O goleiro Kevin Dawson saiu para tentar cortar, mas Marcelo Cirino foi mais rápido, driblou o goleiro e chutou cruzado, abrindo o placar.

No minuto seguinte, o cenário do jogo mudou.  Gabriel Fernández derrubou Marcelo Cirino e foi amarelado. Assim como já tinha acontecido com Wanderson, o jogador do Peñarol deixou o gramado mais cedo. Com condições iguais de 10 contra 10, o Atlético voltou a crescer.

Foto: Albari Rosa.
Foto: Albari Rosa.

Aos 34, Jonathan recebeu dentro da área, avançou e cruzou para Pablo. O atacante, que tinha acabado de entrar, se jogou para mandar para o fundo das redes.

O jogo da volta, que definirá quem segue para as oitavas de final da Sul-Americana, será no dia 07 de agosto em Montevidéu. O Atlético pode perder por até um gol de diferença que avança.

FICHA TÉCNICA

COPA SUL-AMERICANA
2ª Fase – Jogo de ida

ATLÉTICO 2×0 PEÑAROL

Atlético
Santos; Jonathan, Paulo André, Wanderson e Renan Lodi; Matheus Rosseto, Lucho González e Raphael Veiga (Bruno Guimarães); Marcelo Cirino e Marcinho (Léo Pereira); Bergson (Pablo)
Técnico: Tiago Nunes

Peñarol
Kevin Dawson; Giovanni González, Carlos Matheu, Fabricio Formiliano e Lucas Hernández; Gonzalo Freitas (Maxi Rodríguez), Guzmán Pereira (Estoyanoff), Agustín Canobbio, Rodrigo Rojo (Criantian Cebolla) e Darwin Nuñez; Gabriel Fernández
Técnico: Diego López

Local: Arena da Baixada
Árbitro: Fernando Rapallini (Argentina)
Assistentes: Gabriel Chade (Argentina) e Lucas Germanotta (Argentina)

Gols: Marcelo Cirino, aos 13 do 2ºT, Pablo, aos 34 (CAP)
Cartão amarelo: Paulo André(CAP); Canobbio (PEN)
Cartão vermelho: Wanderson (duplo amarelo) (CAP); Gabriel Fernández (duplo amarelo) (PEN)
Público pagante: 10.365
Público total: 11.206
Renda: R$269.115,00