A derrota por 3×0 para o Coritiba no primeiro jogo da final do Campeonato Paranaense, na Arena da Baixada, já ficou para trás. Pelo menos no discurso, o Atlético já absorveu a porrada e quer toda a atenção voltada para a Libertadores. Tanto que o técnico Paulo Autuori já conversou com os jogadores assim que a partida acabou, ainda nos vestiários do estádio.

“É preciso agir imediatamente. Aquilo que precisava ser feito já foi feito, já foi falado o que tinha que ter sido falado e agora é pensar no jogo de quarta-feira”, afirmou o treinador.

A preocupação é para que o tropeço na final do Estadual não tenha um reflexo na partida contra o San Lorenzo, amanhã, às 21h, na Arena. Uma vitória classifica o Furacão para as oitavas de final da Libertadores, com uma rodada de antecedência. Por isso, Autuori quer os jogadores tranquilos e pensando apenas no compromisso diante dos argentinos, ao contrário do que aconteceu no Atletiba, quando o elenco, segundo o comandante do Furacão, entrou em campo pensando no confronto errado.

“(A derrota) Atrapalha para quem não tem as coisas claras e não tem a tranquilidade. Aquilo que eu falei para o grupo. Quero o grupo se recuperando em termos físicos e pensando no jogo de quarta-feira, que é importante, o resto deixa comigo. Eu assumo as coisas, não pode ser diferente, e eles têm que ter a tranquilidade de pensar que o jogo de quarta-feira é um jogo importante, mas não precisa ser jogado duas vezes. Jogamos hoje (domingo) pensando no jogo de quarta e vamos jogar na quarta o verdadeiro”, acrescentou ele.

A dificuldade em dividir as atenções, segundo Autuori, se deve por conta da cultura brasileira de colocar a Libertadores como a maior ambição nos clubes, esquecendo as demais competições e que isso acabou prejudicando o rendimento do time no Atletiba. Uma situação que não deve se repetir amanhã.

“Estou habituado a isso. Quando se disputa a Libertadores há quase uma obsessão em relação a isso. Parece que não existe nada mais em relação àquilo que tem que ser feito. Temos que aprender que uma equipe que quer estar envolvida em grandes momentos tem que saber dividir atenções em campeonatos”, acrescentou o técnico.

Para o duelo diante do San Lorenzo, o Furacão terá ‘reforços’ que podem ajudar na concentração, como o zagueiro Thiago Heleno e o meia Lucho González, mais experientes, que foram poupados do Atletiba e estão à disposição do treinador, assim como o volante Otávio, que também foi preservado.