O Atlético tem a chance de, no clássico contra o Coritiba, nesta quarta-feira (29), às 21h, no Couto Pereira, entrar pela primeira vez no G4 do Campeonato Brasileiro. Sob o comando do técnico Paulo Autuori, o Furacão tem provado, a cada rodada, a evolução que está tendo na competição e o treinador já avisou que não vai admitir nenhuma manifestação de ansiedade para a entrada do time no grupo de frente da classificação.

“Não admito esse tipo de ansiedade. Acho que o time fez um grande jogo porque está chegando ao nível que queremos, está fazendo por onde. A grande vitória, além de somar pontos, foi a maneira como a equipe jogou. Temos que jogar, ser competitivos, fazer por onde, e o resto é consequência. Não admito ansiedade para entrar no G4. Não admito nada disso. Quero e exijo que eles estejam focados no trabalho, naquilo que queremos ser como equipe. Não somos ainda e todos estão a trabalhar muito bem no dia a dia e o jogo resultou tudo aquilo que vem sendo adquirido”, cravou Autuori.

O comandante rubro-negro pontuou ainda que a ansiedade tem que ser apenas em querer fazer um jogo melhor do que o compromisso passado. Assim, Autuori busca no Atlético um time cada vez mais competitivo para seguir brigando na parte de cima da classificação do Brasileirão.

“Não tem nenhum tipo de ansiedade a não ser a relação de fazer a cada jogo mais bem feito que o outro. Temos que buscar a cada dia ser mais competitivos, mais fortes e acreditar mais no nosso trabalho e muito na vontade de fazer aquilo que queremos e que nos permitam estar sempre fuçando lá em cima na tabela”, acrescentou ele.

O meia-atacante Nikão engrossou o discurso do comandante e garantiu o clima de tranquilidade para uma possível entrada no G4 já nesta rodada. O jogador pregou que o grupo, neste momento, precisa estar forte mentalmente para seguir o bom caminho realizado até agora na competição.

“Se a gente se colocou nessa situação, nessa colocação na tabela, é porque a gente trabalhou muito, se empenhou muito, se dedicou muito. Estamos tranquilos com relação a isso. Se chegou é porque teve muita serenidade e muito empenho de todos. Temos que, neste momento, ser mais fortes mentalmente. Não adianta você estar bom das pernas e mentalmente você estar fraco que as coisas acabam não acontecendo. Nesse momento, tudo que envolve ansiedade pode atrapalhar. Tem que estar o mais sereno possível, mais tranquilo, para que as coisas possam continuar acontecendo”, concluiu Nikão.

Jogo jogado! Veja mais sobre o futebol paranaense na coluna do Mafuz!