O Atlético decide muito da sua temporada nesta quarta-feira (16) – se não for toda a sua temporada, afinal o clube abraçou a Copa Libertadores como prioridade desde a classificação para o torneio continental, ainda no ano passado. Mas, talvez para diminuir a pressão sobre os jogadores após cinco jogos sem vitória, o técnico Paulo Autuori preferiu minimizar o impacto do jogo diante da Universidad Católica, às 21h45, no estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago, que vale a classificação para as oitavas de final.

“A importância (da partida desta quarta) é como são todos os jogos, pois o nosso objetivo é toda uma temporada”, comentou o treinador na entrevista coletiva antes do treino desta terça-feira, no CT da Universidad de Chile. “Não podemos jogar fora tudo que temos que fazer na temporada. O jogo é importante, pois vale uma classificação de Libertadores”, completou Autuori.

Mais comedido do que nos últimos encontros com a imprensa, o técnico rubro-negro admitiu que o próprio Atlético construiu a situação que o levou a ter que vencer a Católica nesta quarta para se classificar sem se preocupar com o resultado de San Lorenzo x Flamengo, que se enfrentam no mesmo horário em Buenos Aires. “Tivemos oportunidade em um grupo difícil de sermos os primeiros a classificar e não conseguimos”, afirmou, citando a derrota na Arena para o San Lorenzo por 3×0, há duas semanas.

Para o jogo diante dos chilenos, Paulo Autuori não quis prever o que irá acontecer. “Vamos aguardar o jogo de amanhã (quarta-feira). Não tenho dúvidas que teremos uma disputa competitiva e esperamos nos classificar”, disse o treinador, apenas reforçando de forma sutil que espera ver uma melhora em campo. “Existem maus dias e existem más performances. Esperamos ter um bom dia e uma boa performance”, resumiu.

Em campo, o plano do técnico atleticano é escalar praticamente todos os titulares – apenas Thiago Heleno, suspenso, não está no Chile. Ele espera a reação de Pablo e Carlos Alberto ao treino desta terça para definir se eles começam jogando ou vão para o banco. A tendência é que o Furacão para enfrentar a Católica tenha Weverton; Jonathan, Paulo André, Wanderson e Sidcley; Otávio, Lucho González, Nikão, Carlos Alberto (Matheus Rossetto) e Pablo; Eduardo da Silva.