Quem olha a classificação do Campeonato Brasileiro e avalia os três últimos resultados do Atlético pode pensar que o time está num momento de baixa. Mas não é essa avaliação que deve ser feita. Quando você vê o Furacão na oitava posição, a apenas três pontos do G4, com chances reais de lutar pela classificação para a Copa Libertadores, é obrigatório recordar como o time começou a competição – sob fortíssima pressão, vivendo uma das piores temporadas de sua história, tendo que se virar para não ser rebaixado no campeonato estadual. Mesmo mudando pouco o elenco, a resposta é muito melhor. E é justamente nas pequenas alterações é que se explica a recuperação rubro-negra.

A mais evidente delas é a presença de Milton Mendes. Tirante todo seu estilo que virou febre e o transformou em ídolo da torcida, o treinador tem dois grandes méritos. O primeiro foi o de recuperar um grupo esfacelado. A base do time que faz uma ótima campanha no Brasileirão é a mesma dos fiascos do Estadual – Weverton, Eduardo, Kadu, Otávio, Hernani, Nikão e Marcos Guilherme estavam aí, sem contar Gustavo, Deivid, Dellatorre, Cléo e Douglas Coutinho. Estes mesmos jogadores ganharam respaldo interno e passaram a tratar MM como um pai. É só ver a reação nos gols atleticanos: ali se vê um grupo fortalecido e unido.

O segundo mérito do técnico foi reorganizar o sistema de marcação. Para uma equipe no estilo do Atlético atuar, é preciso ser eficiente na defesa. E os melhores momentos do Furacão neste campeonato passaram por atuações acima da média dos defensores e dos volantes. Kadu passou a ser um dos melhores zagueiros do Brasileiro, Eduardo se afirmou, Otávio e Hernani entram fácil na lista das revelações da temporada – não à toa Otávio foi convocado para a seleção olímpica. E tudo por conta da boa composição defensiva.
Recuperado emocionalmente, mais organizado em campo e com o acréscimo de Walter, o Atlético começou arrasador o Brasileiro.

Venceu cinco dos primeiros seis jogos, assumiu a liderança e surpreendeu o País. Mesmo depois de ser mais conhecido e melhor marcado, o Furacão não deixou as primeiras colocações. Alguns pontos perdidos dentro de casa tiraram o time do G4 nesta reta final de turno, mas a distância é pequena. São três pontos para o Fluminense, hoje o quarto colocado. E sonhar com a vaga na Libertadores é totalmente permitido.

Walter caiu nas graças da torcida

Contratado ainda no decorrer do Campeonato Paranaense, o atacante Walter é uma das três bases de sustentação do Atlético na boa campanha até agora no Campeonato Brasileiro. Envolvido sempre em polêmicas quando o assunto é seu peso, o ‘gordinho’ da Arena da Baixada, juntamente com o goleiro Weverton e o técnico Milton Mendes, comanda a boa fase do time e já caiu nas graças do torcedor.

Com a fama de artilheiro por onde passou, pode-se dizer que Walter ainda não deslanchou, pelo menos quando o assunto é bola na rede. Nos 15 jogos que fez com a camisa atleticana pelo Brasileirão, marcou apenas três gols e é o vice-artilheiro do clube na competição ao lado de Hernani e atrás de Nikão, que é o principal goleador com quatro gols.

Fatos! Veja a opinião sempre polêmica de Augusto Mafuz!

Recentemente, Walter foi alvo de uma polêmica envolvendo o comentarista Edinho, do canal fechado Sportv. O ex-jogador e treinador, que inclusive já teve passagem pelo Atlético, criticou duramente a forma física do centroavante atleticano na vitória sobre o Palmeiras por 1×0, em São Paulo, quando Walter fez o gol do triunfo rubro-negro e também o próprio clube, por deixar, segundo ele, que um atleta acima do peso entrasse e,m campo.

Walter, pelas redes sociais, respondeu os comentários ofensivos de Edinho. Além de pedir mais respeito ao comentarista do Sportv, o jogador atleticano comentou sobre a dificuldade que tem para atingir sua forma física ideal e que depois foi revelado pelo técnico Milton Mendes que, este, é um trauma de infância que acompanha o jogador na sua caminhada dentro do futebol.

Independentemente disso, Walter já conquistou a torcida rubro-negra, o próprio comandante, seus companheiros e a diretoria do clube. As suas boas atuações podem, no segundo turno, levar o Furacão a brigar definitivamente por uma vaga na Libertadores da América.

Paraná Online no Facebook