Representantes do Atlético, dos poderes municipal e estadual, da Confederação Brasil de Voleibol (CBV) e da Federação Internacional de Voleibol (FIVB) lançaram oficialmente a realização da fase final da Liga Mundial de Vôlei, entre os dias 4 e 8 de julho, na Arena da Baixada, em Curitiba. Enquanto o estádio atleticano vai reforçando seu status de um grande centro multieventos, a capital paranaense voltará a ser reconhecida internacionalmente por receber competições de renome mundial.

“É uma alegria e uma satisfação muito grande poder receber na nossa, na casa do Atlético, que em um momento como esse não é só do Atlético, mas sim de todos os paranaenses, esse evento. Essa Arena foi construída, claro, com foco principal no futebol, mas é preciso ser multieventos, com a realização de shows, UFC e outros grandes eventos”, declarou o presidente do Atlético, Luiz Sallim Emed, durante a entrevista coletiva desta quinta-feira (9).

Presidente da comissão de atletas da FIVB, o paranaense Giba, representou a entidade máxima do voleibol mundial na apresentação do evento. O ex-jogador, que brilhou com a camisa da seleção brasileira no início da década de 2000 não escondeu a satisfação por sua cidade receber a maior competição de voleibol de seleções do mundo.

“Vou falar como Gilberto (Godoy), que cresceu em Curitiba, que começou a jogar vôlei nessa cidade. Ele vai sofrer bastante porque queria estar dentro de quadra. Com esse cargo de presidente da comissão dos atletas, com a experiência que tive ao longo dos 20 anos de carreira, vamos procurar ajudar ao máximo na realização desse evento junto com a Prefeitura de Curitiba, Governo do Estado e o Atlético. O vôlei é um esporte de família, faz a família mais forte. Atleticanos, coxas-brancas, paranistas, todos devem se unir em movimento ao voleibol. É um esporte que une muito as famílias, as pessoas”, frisou Giba.

Presidente da Federação Paranaense de Voleibol e vice-presidente da CBV, Neuri Barbieri afirmou que o vôlei, com a realização da fase final da Liga Mundial, está adotando o estádio atleticano como uma arena de voleibol. O dirigente confirmou que o processo de montagem da estrutura começará 15 dias antes do evento e levará cerca de dois dias para desmontar a estrutura dentro da Arena da Baixada.

“Temos orgulho dessa parceria que demonstra ao Brasil e a ao mundo a sua grandeza com essa linda obra da Arena da Baixada. Arena que o voleibol está querendo adotar, já adotou na verdade e está criando essa adoção com tanto carinho com a realização desse evento em julho. Curitiba está voltando a ter momento de glória com o voleibol. Curitiba se completa com esse evento”, finalizou Barbieri.

Nas próximas semanas a FIVB e a CBV deverão anunciar os valores dos ingressos e a forma e locais de vendas para a fase final da Liga Mundial de Vôlei. Os associados do Atlético deverão ter a prioridade de compra para adquirir os bilhetes para as partidas da competição mundial. Será a primeira competição do técnico Renan Dal Zotto a frente da equipe brasileira. Ele substituiu Bernardinho no comando do selecionado verde e amarelo.