O Atlético nunca escondeu que nesta temporada a sua prioridade seria a disputa da Libertadores. Derrotado pelo Flamengo, na última rodada, no Rio de Janeiro, o Furacão, já visando o novo duelo contra a equipe carioca, na Arena da Baixada, na próxima quarta-feira (26), não deverá escalar força máxima no jogo de volta da semifinal diante do Londrina. A partida, que poderia acontecer no sábado, foi marcada pela Federação Paranaense de Futebol (FPF) para domingo e, assim, o time rubro-negro terá um dia a menos de recuperação para a partida pela competição internacional.

O Atlético, antes mesmo do primeiro duelo da semifinal, solicitou à entidade máxima do futebol paranaense que o jogo fosse realizado na sexta-feira, feriado de Tiradentes, ou no sábado, já que o Londrina tem somente o Campeonato Estadual para disputar. O Tubarão, porém, não aceitou jogar nas datas sugeridas pelo Furacão e o duelo vai realmente acontecer no domingo.

Três jogadores em especial preocupam a comissão técnica do Atlético. O lateral-direito Jonathan, o volante Rossetto e o atacante Eduardo da Silva, que deixaram o campo diante do Tubarão sentindo dores musculares, não deverão atuar no duelo de volta, no estádio do Café. O caso mais preocupante é o do lateral atleticano, que deixou o gramado, inclusive, amparado pelos médicos.

A partida no interior, apesar de ser decisiva, pode servir para dar ritmo de jogo a atletas importantes, casos do meia Carlos Alberto e do atacante Pablo. Os dois jogadores estão há algum tempo no departamento médico e são peças importantes para a equipe comandada pelo técnico Paulo Autuori.

“O Carlos Alberto e o Pablo estão em processo de recuperação. Vamos aguardar como eles irão desenvolver ao longo da semana para que possamos tomar as melhores decisões”, apontou o auxiliar-técnico do Atlético, Bruno Pivetti.

Já o volante Otávio, com uma lesão muscular na coxa, seguirá fora do time por mais algum tempo. O meia Lucho González também deverá ser preservado deste duelo diante do Londrina, já que atuou contra o Flamengo, no Maracanã, no sacrifício. Por fim, o meia Felipe Gedoz, que estava com dores no joelho, mas cumpriu suspensão contra o Londrina, deve treinar normalmente durante a semana, mas ainda não tem presença garantida na semifinal. Problemas que, para a comissão técnica, surgiram por conta da sequência de jogos, justamente o que o clube tentou evitar ao pedir para antecipar o próximo compromisso.

“A gente precisa ter frieza para analisar o tipo de lesão. O Carlos Alberto e o Pablo foram traumas, mas realmente as musculares temos por conta da sequência de jogos. Temos que lembrar que começamos o ano num cenário competitivo intenso, com pouco tempo de preparação, num mata-mata. Fica complicado. Os jogadores não estavam, 100% preparados para serem expostos a esse tipo de competitividade”, arrematou Pivetti.