Com péssima campanha no Campeonato Paranaense, o Atlético teve que se contentar com o título de campeão do vexatório Torneio da Morte. Após demitir Claudinei Oliveira e Enderson Moreira, o clube decidiu apostar em Milton Mendes. A perspectiva para o Campeonato Brasileiro não é nada boa. A torcida, revoltada pelo fraco desempenho até aqui, cobra reforços. O Rubro-Negro só conseguiu vencer três times diferentes no ano: os rebaixados Prudentópolis e Nacional, além do Paraná (com o Sub-23).

O Furacão prometeu fazer um pacotão até o fim do mês passado, mas apenas um é reconhecido no cenário nacional. O atacante Walter, do Fluminense, chegou a animar. Mas parou por aí.

Os demais jogadores contratados por Petraglia, como é de praxe, são meras apostas: o zagueiro Kadu (Vitória), os alas Matheus Ribeiro (Ypiranga-RS) e Luiz Paulo (Madureira), o volante Jadson (Udinese-ITA) e o atacante Ytalo (Audax-SP).

O clube sofre com carências em todas as posições. Confira a análise do Paraná Online:

Zaga

Com Cleberson machucado, o Furacão trouxe Lula e, agora, Kadu para o sistema defensivo. Gustavo arrumou a zaga no ano passado, mas esse ano esteve abaixo da média. O clube tenta o defensor Paulão, da Caldense.

Alas

Nenhum ala conseguiu se firmar no ano. As contratações atuais (Eduardo e Daniel Borges) podem até servir por ora. Jorge Moreira, do Libertad, tem pré-contrato e deve chegar na janela de transferência internacional.

Já do outro lado, Natanael caiu drasticamente de produção. Olaza ainda é uma incógnita. A menos de uma semana da estreia, a tendência parece ser de ir com o que tem. Por enquanto.

Meio

A única contratação para o setor foi Jadson, que teve destaque no Botafogo em 2013 e atuou apenas cinco minutos pelo time italiano, após a transferência. A direção ainda tenta trazer Rafinha, do Fluminense, que é amigo pessoal de Walter e está sem espaço nas Laranjeiras. Maicon, do Vitória da Conquista, também interessa.

A única certeza é Deivid, mas Paulinho Dias também não convence. O restante é tudo cria da base. Na criação, o mesmo problema do ano passado. Marcos Guilherme atua mais pelos lados, Bady segue com atuações ruins e ninguém chegou para a posição. Felipe foi o “menos pior”, mas nada que anime. Pelo menos dois atletas precisam ser contratados.

Ataque

Com Walter e Ytalo, o Atlético ainda conta com Crysan, Edigar Junio, Dellatorre, Cléo, Caíque e Douglas Coutinho. Nem todos devem ficar, até pelos fracos jogos da maioria. Outros dois jogadores seriam necessários.

Fato! Leia mais sobre o Atlético na coluna do Mafuz!