Uma missão quase impossível. Assim pode se definir o confronto do Atlético contra o Grêmio, nesta quinta-feira (27), às 21h45, na Arena da Baixada, pela volta das quartas de final da Copa do Brasil. Como perdeu a ida, em Porto Alegre, por 4×0, o Furacão precisa devolver o placar para levar a disputa da vaga para a próxima fase para os pênaltis, ou ganhar por, no mínimo, cinco gols de diferença, para se classificar nos 90 minutos.

Uma tarefa complicada se levar em consideração dois motivos: o primeiro é o fato de que o Rubro-Negro em 2017 só conseguiu o placar necessário uma única vez, quando goleou o Cascavel por 4×0 no Campeonato Paranaense. Na ocasião, o time atleticano foi formado pela garotada e não pelo elenco principal.

Já o segundo, e muito mais preocupante, é a atual fase do Atlético. Já são oito partidas consecutivas que a equipe não sabe o que é vencer. A última vez que conquistou uma vitória foi no dia 25 de junho – ou sejá, lá se vai um mês inteiro -, quando goleou o Vitória por 4×1, na Arena da Baixada. Um placar quase necessário para alcançar a ‘remontada’ (termo que ficou conhecido após o Barcelona fazer 6×1 em cima do Paris Saint-Germain após levar 4×0 e se classificar na Liga dos Campeões da Europa).

Até por isso, o discurso no Furacão é de que mais importante que a classificação, neste momento, é ter uma atuação convincente e sair de campo com a vitória, mesmo que não pelos 4×0 exigidos.

“Com certeza. Lógico que nosso objetivo maior não é entrar pensando em fazer quatro ou cinco gols, mas sim o nosso melhor. Entrar e fazer o jogo da nossa vida. Começar construindo o resultado gol a gol, mas primeiro saber que acima de tudo temos uma partida muito difícil, sabemos da qualidade do nosso adversário, então temos que estar atentos com a nossa posse de bola. Mas no futebol tudo pode acontecer. Temos que pensar em vencer e, consequentemente, em nos classificarmos”, afirmou o volante Otávio.

O técnico Fabiano Soares, que não estava no comando do Rubro-Negro na goleada sofrida no primeiro jogo – a equipe ainda estava com Eduardo Baptista -, porém, reforçou que não jogou a tolha em busca da vaga. Para o treinador, tudo é possível, deste que o time jogue bem e vá buscando gol a gol.

“Logicamente não vamos renunciar a nada. É complicado, mas não impossível. No futebol já se viu várias coisas. Mas primeiro temos que reverter esta situação de o Atlético não ganhar, então o primeiro objetivo é ganhar o jogo e, logicamente, se conseguirmos fazer o gol não vamos parar por aí, para tentar conseguir marcar o segundo, o terceiro…”, destacou ele, que fará mudanças na escalação.

No total, são nove desfalques: O meia Guilherme, que já atuou na Copa do Brasil pelo Corinthians, os volantes Bruno Guimarães e Esteban Pavez e os atacantes Ederson e Ribamar, que não foram inscritos, o meia Nikão, suspenso, e o lateral-direito Jonathan e o zagueiro Thiago Heleno, lesionados. E de última hora o volante Otávio, tirado até o banco por estar em negociação com o Bordeaux.

Desta maneira, o Rubro-Negro vai quase que com um time misto. No último treinamento, na manhã de quarta-feira (26), o lateral-esquerdo Nícolas e os meias Yago e Matheus Anjos foram testados, enquanto Felipe Gedoz foi bastante elogiado por Fabiano.

FICHA TÉCNICA

COPA DO BRASIL
Quartas de final – Jogo de volta

ATLÉTICO X GRÊMIO

Atlético
Weverton; Gustavo Cascardo, Wanderson, Cleberson e Nicolas; Eduardo Henrique, Matheus Rossetto, Douglas Coutinho, Matheus Anjos e Felipe Gedoz; Pablo.
Técnico: Fabiano Soares

Grêmio
Marcelo Grohe; Edílson, Geromel, Kannemann e Cortez; Michel, Maicon, Ramiro, Arthur e Pedro Rocha; Luan.
Técnico: Renato Gaúcho

Local: Arena da Baixada
Horário: 21h45
Árbitro: Raphael Claus (FIFA-SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (FIFA-SP) e Alex Ang Ribeiro (SP)