O atacante Ederson, ao que tudo indica, fez sua despedida do Atlético no jogo da última quarta-feira (13), na derrota por 2×0 para o Botafogo, no Rio de Janeiro. Vindo do Kashiwa Reysol, do Japão, o jogador voltou ao Furacão por empréstimo em maio do ano passado e seu contrato está prestes a acabar, já que vai até o próximo dia 30 de junho.

Artilheiro na conquista do Campeonato Paranaense deste ano, com nove gols, Ederson acabou sendo promovido ao time principal. Sob o comando de Fernando Diniz, ele teve poucas chances e entrou somente em quatro oportunidades, todas no decorrer das partidas do Campeonato Brasileiro.

Sem nada certo sobre seu futuro, o jogador aguarda uma oportunidade de alguma equipe para entrar em campo até o final da temporada.

“Meu contrato lá no Japão acaba agora também no dia 30, junto com o Atlético. Estou esperando alguma coisa aparecer. Meus empresários estão mexendo aí. Vamos ver o que Deus reserva para mim”, falou.

Neste ano, o jogador disputou 20 partidas com a camisa do Rubro-Negro e tentava retomar a titularidade na equipe principal. Mesmo com os maus momentos vividos no ano passado, Ederson sempre teve crédito com o torcedor. Em 2013 foi o artilheiro do Campeonato Brasileiro, com 21 gols marcados, além dos quatro que assinalou na Copa do Brasil.

Na ocasião, o bom desempenho do goleador foi essencial para que o time conquistasse o vice-campeonato da Copa do Brasil e se classificasse para a Libertadores. O atleta, que depois de sua importante passagem no time retornou em 2017, tem uma história respeitável no clube: marcou 41 gols e vestiu a camisa atleticana 111 vezes. Em 2017, foram apenas 20 partidas, nove como titular, e marcou somente três vezes, pouco para um centroavante.

Confira a classificação completa do Brasileirão

“Pode ter sido meu último jogo pelo Atlético e queria ter ajudado minha equipe. Esta semana, tomei uma pancada, vim com muita dor, só Deus sabe a dor que eu estou sentindo, mas eu tinha que vir hoje. Infelizmente, não ajudei”, disse Ederson, frisando que sai contente pela história que fez no clube.

“Individualmente, fui muito feliz aqui. Até no Estadual, deixei minha marca aqui. Mas saio triste pelo momento”, finalizou Ederson.