Nos últimos dois jogos, o Atlético amargou duas derrotas (4×0 para o Grêmio, na Copa do Brasil, e 1×0 para o Sport, no Campeonato Brasileiro), onde o time não teve boas atuações. No entanto, o técnico Eduardo Baptista minimizou o baixo rendimento do Furacão, que inclusive apareceram na sequência de quatro vitórias, e se incomodou ao ser questionado na entrevista coletiva sobre o momento complicado.

“Que momento o time vive? Não adianta querer criar crise aqui. Vínhamos de quatro vitórias importantes, hoje (domingo) corremos um risco calculado (ao poupar jogadores). Não fizemos um bom jogo, mas não é uma derrota que vai nos desestabilizar. Não temos crise e nem ambiente ruim”, esbravejou o treinador rubro-negro.

Na próxima quarta-feira (5), o Atlético encara o Santos, às 19h15, na Vila Capanema, pelo duelo de ida das oitavas de final da Libertadores. E para o goleiro Weverton, que já havia falado que o time não está jogando bem, é preciso aproveitar estas últimas partidas para corrigir algumas falhas, principalmente por se tratar de mata-mata, onde o Furacão já se complicou pela Copa do Brasil.

“Ninguém é besta. Não jogamos bem, não estamos jogando bem e acho que até aqui o ano estava sendo planejado de uma forma boa, mas nos aproximamos de fase decisiva e não estamos bem. Isso que nos preocupa. Temos que tirar lição disso que está acontecendo. Quarta-feira temos uma grande decisão. Já deixamos escapar uma e não podemos deixar passar outra. Temos muito o que melhorar ainda, mas temos condições para isso”, destacou o arqueiro.