O Atlético parece ter perdido o rumo na disputa do Campeonato Brasileiro. Em uma jornada marcada por protestos e mais uma atuação ruim, o Furacão perdeu para o Atlético-MG por 2×0, na noite de domingo (1), na Arena da Baixada, segue com 34 pontos e cada vez mais longe do G7 da competição nacional. O time atleticano, com apenas uma vitória conquistada nas últimas seis partidas, caiu muito na classificação e vê as chances de jogar a Libertadores do ano que vem ficarem cada vez menores. Serão dez dias para o técnico Fabiano Soares arrumar a casa e fazer o Rubro-Negro voltar a vencer no duelo contra o Atlético-GO, novamente no Joaquim Américo.

Veja como foi o jogo no Tempo Real da Tribuna!

Vencer na Arena da Baixada era necessário para o Atlético seguir na luta pelo G6 do Campeonato Brasileiro. O Furacão sabia disso e tomou as rédeas do jogo no início. No entanto, o time atleticano não fez um bom primeiro tempo e esbarrou principalmente na boa postura dos mineiros.

Com dificuldades na criação, o Atlético limitou-se, nos primeiros 45 minutos, a chutar duas bolas com Ribamar e Jonathan e que mal assustaram o goleiro Victor. O Galo, por sua vez, um pouco mais organizado, procurava explorar os contra-ataques e quase conseguiu o primeiro gol com Fred, mas Weverton fez boa defesa.

Foi em uma falha da defesa do Atlético que o Galo conseguiu o primeiro gol aos 21 minutos. Depois da cobrança de escanteio, Robinho apareceu livre para abrir o placar. O Furacão tentou ser mais ofensivo, mas o duelo seguiu truncado, com muita marcação do xará mineiro. Só que o time atleticano se enervou um pouco mais, deu mais espaços para o adversário e passou longe de buscar uma reação na etapa inicial.

O Atlético voltou com Felipe Gedoz para aumentar seu poder de fogo e tentar empatar o jogo. Mas foi o Galo que voltou melhor do intervalo. O Furacão, com a marcação mais frouxa, viu o adversário dominar os primeiros 15 minutos. Além da atuação ruim, o time rubro-negro jogava cada vez mais pressionado, errava demais e não conseguia reagir.

Diante do recuo excessivo do Atlético-MG, o Furacão, automaticamente, passou a pressionar o Galo em busca do empate. Sobretudo depois da entrada do jovem meia Matheus Anjos, o Atlético foi mais criativo e passou a criar seguidas chances de conseguir o empate. No entanto, as principais chances do time rubro-negro foram criadas em arremates de média e longa distância.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro!

Felipe Gedoz duas vezes e Matheus Anjos por pouco não marcaram. O Atlético não conseguia ser eficiente nas chances criadas. Quando a bola não saia por pouco, o goleiro Victor passou a aparecer bem e a fazer grandes defesas. Aos 33, quando Pavez chutou e venceu o arqueiro do Galo, Alex Silva, em cima da linha, evitou o empate do Furacão. Depois, Thiago Heleno, de cabeça, quase empatou.

O defensor atleticano, de quase herói, passou a ser vilão minutos depois. Thiago Heleno saiu jogando errado, Otero recuperou e tocou para Robinho, que vinha em má fase, para marcar seu segundo gol na partida e definir a vitória do Galo em plena Arena da Baixada. Em seguida, vieram mais protestos contra a diretoria, contra o time e o Rubro-Negro, em campo, não conseguiu reagir e amargou a sua quinta derrota em casa na competição nacional. Revés que, sem dúvidas, deixará marcas negativas para a sequência do clube no Brasileirão.