Invicto na temporada, o Atlético tem daqui pra frente uma sequência de compromissos que vão colocar à prova a regularidade dos elencos dos times, que disputam competições diferentes. Tanto a equipe de aspirantes quanto a principal vão encarar decisões importantes e que exigirão entrega em campo.

O foco da equipe comandada por Tiago Nunes é o Campeonato Paranaense. Somando sete vitórias e quatro empates até o momento, o treinador já enfatizou em diversas entrevistas que erguer a taça da competição é o que o clube almeja.

“A nossa missão vai ser cumprida se conquistarmos o título. A gente está tratando no jogo a jogo, mas estamos focados em sermos campeões. A gente, junto com o torcedor, acredita que o ideal é sermos campeões”, comentou ele, ressaltando que a campanha até aqui não terá valor se o título não for conquistado.

Para que seja bem sucedido nessa missão, o Furacão precisa entrar ligado nas próximas partidas e, primeiramente, conquistar a Taça Caio Júnior. Nesta quarta-feira (21), o time enfrenta o Toledo, às 21h45, no Oeste do Estado, e tentará concretizar o primeiro lugar do Grupo B. Depois, no dia 25, o time vai à semifinal e a missão é decidir o ‘mata-mata‘ sem perigos para não repetir a desclassificação frustrante que aconteceu na semifinal da Taça Dionísio Filho diante do Rio Branco, nos pênaltis. Caso vença, o Rubro-Negro vai para a decisão do segundo turno, que acontecerá no dia 28. Caso seja campeão, o Atlético fará a decisão do Paranaense contra o Coritiba nos dias 1º e 8 de abril.

Nesse meio tempo, o Furacão principal tem os jogos da quarta fase da Copa do Brasil, contra o São Paulo, ainda sem datas divulgadas, mas provavelmente com a ida na Arena no dia 4 de abril e a volta, no Morumbi no dia 18 ou 19 do mesmo mês.

Além disso, no mês que vem, os comandados por Fernando Diniz também iniciarão em duas outras competições. No dia 12 de abril o Rubro-Negro estreia na Copa Sul-Americana contra o Newell’s Old Boys, da Argentina, e no dia 15 faz sua estreia no Brasileirão encarando a Chapecoense. As duas partidas acontecerão na Arena da Baixada e os planos do Atlético é participar das competições com o melhor aproveitamento possível.

Ou seja, somando as quatro competições, o Furacão pode ter pela frente, em um período de 29 dias, nove partidas, sendo sete delas decisões. O que colocará à prova a qualidade do elenco e, principalmente, a condição física do grupo. Por isso, os trabalhos técnicos e a determinação serão necessários para sair da “maratona de jogos” com os objetivos alcançados.

Confira a classificação completa do Paranaense

“Muito trabalho, muito treinamento, que não é só da parte tática e física, mas da parte da relação humana, conversando mostrando vídeos e falando sobre a importância de estarmos juntos. É um time muito solidário. Fazer construção de jogo como a gente faz precisa muito da participação coletiva. São dez que se movimentam para um só estar com a bola. Isso que é o mais difícil a equipe está cada vez melhor. Temos ajustes para fazer, mas vamos fazer com o tempo”, falou Diniz.

“O Atlético não é um time de paz, o Atlético é um time de guerra, um time que a torcida gosta quando o jogador sua a camiseta, se atira na bola de qualquer jeito se for preciso, ele é persistente, não para, que não desiste. E uma das características desse grupo, muitos atletas formados na casa, é ter essa compreensão de que para vestir a camisa do Atlético tem que suar sangue e eles têm feito isso com maestria”, destacou Tiago Nunes.