Nos últimos 14 jogos disputados, o Atlético só conseguiu sair de campo com a vitória uma vez. Essa sequência ruim do Furacão começou no dia 19 de abril, no empate em 2×2 com o São Paulo, no Morumbi, pela Copa do Brasil, e vai até o jogo desta quarta-feira (13), quando foi derrotado por 2×0 pelo Botafogo, no Rio de Janeiro. Nesse período, a única vitória conquistada foi o 2×0 sobre o Santos, no dia 31 de maio, na Arena da Baixada, pelo Campeonato Brasileiro.

Apesar de os números deixarem em evidência que o Rubro-Negro está ‘mal das pernas‘, o técnico Fernando Diniz acredita que esta não é a maneira certa de avaliar o desempenho do time até aqui na temporada.

“Se comentar apenas resultado, fica fácil. As perguntas (da imprensa) vão todas nesse sentido e o time tem uma proposta de trabalho. O time já mostrou que é possível fazer coisas grandes no Atlético. Nós fomos perdendo jogadores, vocês sabem da limitação do elenco, e temos jogadores que tiveram maus momentos. É assim que se analisa o trabalho e analisar apenas o resultado fica menos superficial. O trabalho está sendo feito e acredito muito nos jogadores”, detalhou o treinador, que viu o Furacão bem no último compromisso antes da paralização do Brasileirão para a Copa do Mundo.

“Estávamos fazendo um jogo equilibrado. Era um jogo com propostas diferentes”, disse o comandante, que apontou, ainda, uma interferência da arbitragem. “Perdemos uma bola no meio-campo e o juiz deu um pênalti que não existiu”, destacou.

Confira a classificação completa do Brasileirão!

Agora, os jogadores terão alguns dias de folga por conta do recesso e se reapresentam no CT do Caju no dia 25 de junho. O primeiro compromisso depois da pausa será em 16 de julho, diante do Cruzeiro, pela Copa do Brasil. A expectativa é que esse período de treinamentos possa fazer com que o Atletico volte mais capacitado para as competições que disputa.

“Temos tudo para retomar os bons momentos que vivemos no ano”, finalizou Diniz.