Adversário do Atlético nesta quinta-feira (26), às 19h30, na Arena da Baixada, pela segunda fase da Copa Sul-Americana, o Peñarol, assim como o próprio Furacão, não atravessa um bom momento. No último sábado, a equipe estreou no Torneio Clausura, uma espécie de segundo Campeonato Uruguaio do ano, com um empate em 1×1 em casa com o Racing.

Antes, no Torneio Intermédio, a equipe auri-negra ficou em segundo no Grupo B, atrás do Torque, acabou indo para a decisão. Já no Apertura, disputado também antes da Copa do Mundo, o clube foi o vice-campeão, dois pontos trás do Nacional.

Além disso, o time só está na Sul-Americana porque foi eliminado na fase de grupos da Libertadores. Acabou ficando em terceiro em um grupo que contava com Libertad, do Paraguai, Atlético Tucumán, da Argentina, e The Strongest, da Bolívia. Os dois primeiros acabaram avançando às oitavas de final.

Para tentar voltar aos bons momentos, o Peñarol conta com nomes importantes no elenco. O principal deles é o meia Cristian ‘Cebolla’ Rodríguez. Aos 32 anos, o jogador está de volta após disputar a Copa do Mundo da Rússia, onde entrou nos cinco jogos, apesar de ser reserva, e deve retornar à equipe nesta noite (não atuou contra o Racing).

Além dele, o técnico Luis Diego López, que assumiu o cargo recentemente e fez sua estreia no final de semana, tem no grupo o meia-atacante Estoyanoff, de 35 anos, com passagens por La Coruña e Valencia, ambos da Espanha, e o atacante argentino Lucas Viatri, revelado pelo Boca Juniors. O lateral-direito Varela, que também jogou a Copa na Rússia, é desfalque, por conta de uma lesão, assim como o meia Hernán Petryk, suspenso.

Diante de tanta experiência e da necessidade de se recuperar, a promessa dos uruguaios é de vir para a Arena da Baixada e conquistar a vitória sobre o Furacão.

“Sabemos que equipes brasileiras são muito boas. Não podemos deixar eles ficarem com a bola. A marcação terá que ser em cima, não podemos deixar eles dominarem a bola com tranquilidade”, afirmou Estoyanoff, fazendo coro ao seu treinador.

“Somos uma equipe grande e, como tal, temos que tratar de jogar. Nós somos o Peñarol, somos um time grande”, disse López.