A derrota por 1×0 para o Coritiba, nesta quarta-feira (29), no Couto Pereira, estragou os planos do Atlético de se aproximar ainda mais do G4. Com o resultado, o Furacão caiu para o nono lugar. Mas, mais do que a queda na classificação, os jogadores lamentaram muito mais a atuação da equipe no clássico.

O zagueiro Paulo André admitiu que o Furacão falhou na marcação no lance do gol do rival. Na jogada, o atacante Kazim ficou completamente livre na pequena área e só cabeceou para o gol. “O gol era facilmente anulável, mas não conseguimos. A casquinha matou todo mundo, mas faz parte e agora temos que pensar no próximo jogo”, disse ele.

De acordo com o meia Vinícius, o time sabia que o Coxa ia usar como arma as bolas paradas, mas acabou falhando justamente neste tipo de jogada. Além disso, ele ressaltou que o gramado do Couto atrapalhou o rendimento rubro-negro. “Sabíamos que eles iam usar todas as forças na bola parada e foi o que aconteceu. Seria a única forma que eles poderiam chegar e infelizmente levamos o gol. Mas ainda podemos pensar no G4. Devido ao campo não construímos as jogadas lá de trás e saíamos só no chutão, mas a zaga deles é boa de cabeça e não fizemos um bom jogo”, disparou.

Já o técnico Paulo Autuori evitou dar qualquer desculpa para a derrota e apenas lamentou o erro de marcação na hora do gol. “Nossos erros nós assumimos, perdemos o jogo nessa situação. O empate seria normal pelo o que as duas equipes fizeram, mas resultado sempre é justo. Erramos feio na marcação no lance do gol. Poderíamos ter jogado mais, tínhamos condições de fazer, mas não fizemos”, apontou o treinador, que só reclamou de pênalti de Wilson em cima de Deivid no primeiro tempo.

“O lance foi muito pênalti e o árbitro achou que não foi. Eu não discuto isso, ele é soberano, mas que foi pênalti foi”, completou.