A não renovação do contrato do meia Lucho González com o Atlético pode não ter sido uma simples opção técnica, mas sim um grave problema pessoal. Em entrevistas para os principais jornais de Portugal, Andreia Marques, esposa do argentino, afirmou que ele tentou matá-la na semana passada.

“Lucho González, meu marido, tentou me matar. Tentou me asfixiar, me pendurou na varanda, cortou meu pulso”, afirmou. Em vídeo, ela relata que o ocorrido aconteceu na frente dos dois filhos do casal, de dois e sete anos, além dos empregados, que impediram a tragédia. A situação acabou chegando ao Furacão, ao qual ela fez denúncia.

Segundo a versão de Andreia Marques, o clube disse que não se envolvia em assuntos particulares dos seus jogadores. “Expulsaram-no porque sabiam que isto era um escândalo”, relatou.

O estopim da briga teria sido algo banal: a intenção dela de ir à cidade do Porto para resolver assuntos particulares, pois sua casa tinha sofrido com um alagamento. Para economizar, ela decidiu viajar de classe econômica e sem os filhos.

“Nós discutimos e ele me empurrou várias vezes. Depois atirou-me à cama e apertou-me o pescoço com as duas mãos e dizia: ‘Eu vou-te matar’. Fiquei toda pisada e com os pulsos todos cortados. Depois pendurou-me na janela, chamou os nossos filhos [Maria, de 2 anos e Matteo, de 7] e disse: ‘Venham ver a vossa mãe louca a morrer’. Ele também agrediu o Matteo, que lhe pedia para parar. Pegou-lhe num braço e atirou-o ao chão”, disse ela, que é casada com o jogador argentino desde 2014 ,período que ele atuava no FC Porto.

A esposa disse também que Lucho tirou todos os seus bens materiais e bloqueou os cartões de crédito, retirou o dinheiro das contas bancárias e até alguns pertences dos funcionários. Como foi hospitalizada, por conta dos cortes no pulso, o fato teria chegado à Justiça, que proibiu Lucho de se aproximar da esposa de uma distância inferior a 500 metros. A Polícia Civil confirmou o caso e abriu inquérito para investigar a situação.