O entrave de bastidores entre Atlético e São Paulo pode ganhar mais um capítulo. Agora, envolvendo o meia Marcos Guilherme. O jogador de 22 anos está emprestado pelo Furacão ao tricolor paulista. No entanto, o acordo pode ter um outro final.

Marcos Guilherme foi contratado pelo São Paulo em julho de 2017. Na época, ele estava emprestado pelo Rubro-Negro ao Dínamo Zagreb, da Croácia, desde janeiro. Porém, pouco aproveitado por lá, manifestou o interesse de voltar ao Brasil e surgiu o interesse do time paulista, que assumiu o contrato do empréstimo com o Atlético, pagando dois terços do acordo com os croatas, que era de R$ 4 milhões na época.

Só que o problema é o tempo de contrato. Quando foi para o Dínamo, em janeiro, o jogador assinou acordo de um ano e meio, que terminaria em julho de 2018. Como o São Paulo apenas assumiu o restante do acordo, o vínculo seria de um ano. Com isso, o contrato termina daqui dois meses.

Porém, o tricolor garante que tinha apalavrado com o Furacão um empréstimo de um ano e meio, que terminaria apenas em dezembro. O que atrapalha ainda mais a negociação é que o Rubro-Negro quer vender o atleta em definitivo para a Europa, aproveitando a janela de transferência do meio do ano, considerada a principal época de negociações no Velho Continente. Ainda mais porque seria a última chance do clube em vendê-lo em definitivo, uma vez que o vínculo dele com o Atlético termina em março de 2019.

LEIA TAMBÉM: Aplicativo vira o salvador das peladas em Curitiba

Para continuar com Marcos Guilherme, o São Paulo teria que pagar quase R$ 13 milhões ao Furacão para comprar 50% dos direitos do jogador, nos mesmos moldes do empréstimo ao Dínamo Zagreb. Um valor considerado alto demais para o futebol brasileiro.

Desta forma, o meia pode retornar ao Rubro-Negro em julho e, caso não seja vendido, ficaria no clube mais oito meses, até terminar seu vínculo e ficar livre no mercado.