Com apenas uma vitória nos últimos 13 jogos e com o Atlético afundado na zona de rebaixamento, o técnico Fernando Diniz segue cada vez mais pressionado no cargo, mas não ameaçado. Pelo menos quem garantiu foi o presidente do Conselho Deliberativo do Furacão, Mario Celso Petraglia.

Em entrevista ao blog do jornalista Luciano Borges, na Istoé, o dirigente mais uma vez ressaltou que o treinador só vai embora do Rubro-Negro se o próprio quiser.

“Pode cravar: ele só sairá quando ele quiser. É a única forma do Atlético Paranaense fazer o futebol de forma alternativa”, disse Petraglia, que disse que as críticas ao trabalho são de uma “parte reacionária”, da imprensa e da torcida.

“Já existe esta pressão, principalmente por parte da torcida e imprensa, uma parte reacionária que sempre age desta maneira. Mas a gente pensa de forma diferente. Somos o nono no ranking de clubes brasileiros e vai ser difícil fazer frente aos oito da frente enquanto a performance em campo por proporcional ao fluxo de caixa dos clubes”, completou.

Esta não é a primeira vez que Petraglia banca Fernando Diniz. No final de abril, o dirigente já havia afirmado que o técnico só vai embora quando ele quiser. Depois, em maio, o presidente do Deliberativo destacou que o comandante atleticano não será demitido mesmo em caso de rebaixamento para a Série B.

Segundo ele, o Atlético segue com o projeto do técnico e que isso é uma alternativa à brutal diferença financeira entre os clubes, que obriga os que ganham menos a inovarem no futebol.

“Enquanto o Flamengo entrar na temporada recebendo R$ 3,5 milhões e nós entrarmos com R$ 150 mil, vamos ter que pensar em sermos alternativos, diferentes. Ainda estamos no projeto com o Fernando Diniz. Os novos contratos da Globo com clubes da Série A vão até 2024, ou seja, nada vai mudar”, completou Petraglia.