Há doze anos, em 2006, o Atlético chegava pela primeira vez à disputa da semifinal da Copa Sul-Americana. As recordações, no entanto, não são das melhores. Afinal, o Furacão acabou eliminado pelo Pachuca, do México. No primeiro jogo, o time não conseguiu fazer valer o fator Arena, como foi desta vez contra o Fluminense, quando abriu 2×0. Naquele jogo de ida da semifinal, perdeu por 1×0 e, no México, chegou a sair na frente, com Ferreira, mas acabou goleado por 4×1. Desta vez, a história tem tudo pra ser diferente! No Maracanã, o Atlético pode até perder por um gol de diferença que carimba o passaporte pra final.

Veja o time que jogou o primeiro jogo daquela semifinal, na Arena:

Cléber (goleiro) – Encerrou a carreira em 2017 Estoril-Praia, de Portugal. Revelado pelo Furacão, onde ficou até 2007, com um breve empréstimo pro Santa Cruz, ele passou ainda três anos no Sport e teve uma breve passagem pelo Botafogo-SP antes de se transferir pro futebol europeu.

Cléber encerrou a carreira m Portugal. Foto: Arquivo/Tribuna
Cléber encerrou a carreira em Portugal. Foto: Arquivo/Tribuna

Jancarlos (lateral-direito) – Faleceu num acidente de carro há cinco anos. Revelado pelo Fluminense, passou um ano no Juventude antes de acertar com o Furacão, onde ficou por três anos. À época da sua morte, estava no futebol do Espírito Santo.

Jancarlos faleceu em um acidente de carro. Foto: Divulgação/Rio Branco-ES
Jancarlos faleceu em um acidente de carro. Foto: Divulgação/Rio Branco-ES

Danilo (zagueiro) – Danilo, atualmente, veste a camisa do Bologna, da Itália, depois de defender a Udinese por sete temporadas. Depois que sai do Atlético, ele foi pro Palmeiras e, de lá, seguiu para o continente europeu.

Danilo está no futebol italiano. Foto: Divulgação/Bologna
Danilo está no futebol italiano. Foto: Divulgação/Bologna

César (zagueiro) – O zagueirão acabou seguindo a carreira administrativa dentro do futebol. Atualmente, é gerente de futebol do Monte Azul, do interior de São Paulo. Começou a carreira na Portuguesa e chegou a passar pelo Rennes e PSG, antes de vestir a camisa de Palmeiras e Corinthians. Depois de breve passagem pelo futebol espanhol, chegou ao Furacão. Encerrou a carreira em 2009, no Mixto.

César trabalha nos bastidores do futebol. Foto: Divulgação
César trabalha nos bastidores do futebol. Foto: Divulgação

Michel (lateral-esquerdo) – Com 37 anos, ainda está na ativa, jogando pleo Rayo OKC, dos Estados Unidos. Foi revelado pelo Atlético Mineiro e defendeu o Liège, da Bélgica, antes de chegar ao Furacão. Desde 2013 está no futebol norte-americano.

michel
Michel está no futebol norte-americano. Foto: Divulgação

Erandir (volante) – Ainda na ativa, com 36, defende o Ferroviário-CE. Teve duas passagens pelo Atlético. Em 2001, foi campeão brasileiro. De volta em 2006, ficou por mais um ano. Voltou ao Fortaleza e rodou por clubes como ABC e São Caetano.

Erandir era peça importante da defesa. Foto: Divulgação/Ferroviário
Erandir era peça importante da defesa. Foto: Divulgação/Ferroviário

Alan Bahia (volante) – Voltou ao futebol baiano e hoje está no Vitória da Conquista. Revelado pelo PSTC, ele defendeu o Furacão de 2001 a 2012 e foi campeão brasileiro pelo clube. Depois, seguiu para o futebol japonês e árabe para, ao retornar, rodar por times como América de Natal e XV de Piracicaba. Atualmente, está com 35 anos.

Último clube de Alan Bahia foi Nacional. Foto: Divulgação
Último clube de Alan Bahia foi Nacional. Foto: Divulgação

Cristian (volante) – Revelado pelo Paulista, de Jundiaí, permaneceu no clube até 2005, quando se transferiu pro Atlético, onde ficou até 2007. Do Furacão seguiu pro Flamengo, de onde foi para o Corinthians, depois de um ano. Em 2009 partiu pra uma longa temporada no Fenerbahçe. Voltou pro Timão em 2015 e foi emprestado ao Grêmio em 2017. Atualmente, defende o São Caetano.

Cristian está no São CAetano. Foto: Divulgação/São Caetano
Cristian está no São CAetano. Foto: Divulgação/São Caetano

Willian (atacante)– O jogador, que ganhou a alcunha de Willian Bigode, está disputando o título brasileiro deste ano com a camisa do Palmeiras. Revelado pelo Guarani, ficou no Furacão de 2006 a 2010. Depois de empréstimos a clubes de menor expressão, vestiu a camisa de Corinthians e Cruzeiro até chegar ao Verdão.

Willian Bigode acaba de ser campeão pelo Palmeiras. Foto: Divulgação/Palmeiras
Willian Bigode acaba de ser campeão pelo Palmeiras. Foto: Divulgação/Palmeiras

Ferreira (meia) – Colombiano, voltou pra sua terra Natal em 2014 e hoje defende o Real Cartagena, time que o revelou. Vindo do América de Cali, ele chegou ao Furacão em 2005 e ficou até 2010. Passou ainda pela Arábia Saudita e Estados Unidos, até voltar pra Colômbia.

Ferreira está no futebol colombiano. Foto: Divulgação
Ferreira está no futebol colombiano. Foto: Divulgação

Marcos Aurélio (atacante) – Atualmente no Sampaio Corrêa, foi revelado pelo Corinthians. Depois de rodar por times de menor expressão, chegou ao Furacão em 2006. Na sequência, vestiu a camisa de clubes como o Santos e depois de curta passagem pelo Japão, passou a defender o Coritiba, onde foi campeão da Série B em 2010. Voltou pro Alviverde em 2015 e, a partir daí, defendeu CRB, Luverdense e Botafogo-PB.

Marcos Aurélio segue na ativa. Foto: Divulgação/Sampaio Corrêa
Marcos Aurélio segue na ativa. Foto: Divulgação/Sampaio Corrêa

Dagoberto (atacante) – Atualmente disputando a Série B com a camisa do Londrina, Dagoberto é artilheiro da Série B, com 14 gols. Revelado pelo PSTC, ele surgiu pro futebol no Atlético, como uma das grandes promessas. Teve seus direitos vendidos ao São Paulo em 2007 e ficou no Tricolor até 2011, de onde foi pro Inter. De 2013 a 2015 passou a jogar pelo Cruzeiro, com um curto empréstimo pro Vasco e pro Vitória. No ano passado, antes de ir pro Tubarão, atuou pelo São Francisco Deltas, dos Estados Unidos.

Dagoberto agora veste a camisa do Londrina. Foto: Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Dagoberto agora veste a camisa do Londrina. Foto: Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube

Denis Marques (atacante) – Considerado uma espécie de sósia de Oséas, por conta do seu penteado, o jogador foi revelado pelo Mogi Mirim. Depois de ser emprestado para o Al-Kuwait, chegou ao Atlético em 2004 e ficou por três anos. Na sequência,  foi comprado pelo Omiya, do Japão, de onde foi emprestado pro Flamengo, depois Santa Cruz e, por fim, ABC, onde pendurou as chuteiras.

Dênis Marques encerrou a carreira no ABC. Foto: Divulgação/ABC
Dênis Marques encerrou a carreira no ABC. Foto: Divulgação/ABC

Técnico: Osvaldo Alvarez – Comandante da seleção feminina do Brasil, Vadão rodou pelo interior de São Paulo antes de acertar com o Furacão pela primeira vez, em 1999. Voltou em 2003 e, novamente, em 2006. Nos intervalos entre as oportunidades no Atlético, ele chegou a comandar Corinthians, São Paulo, Ponte Preta, Guarani e Sport. Na seleção feminina, teve uma passagem entre 2014 e 2016 e voltou no ano passado a comandar as meninas.

Vadão comanda a seleção brasileira feminina. Foto: Divulgação/CBF
Vadão comanda a seleção brasileira feminina. Foto: Divulgação/CBF

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!