A vitória de virada do Atlético sobre o Botafogo por 2×1, na noite de sábado (27), na Arena da Baixada, ficou marcado por atos políticos. Além de o Furacão ter entrado em campo com a camisa amarela, em alusão ao candidato Jair Bolsonaro, do PSL, torcedores do clube foram proibidos de entrar no estádio com adesivos a favor do candidado Fernando Haddad, do PT.

+ Leia também: Confira como foi o triunfo do Furacão

Um deles foi o advogado Luis Henrique da Rocha Machado, de 25 anos. O sócio do Rubro-Negro, juntamente com seu pai, Lauro Gomes Machado, só pode passar pelos seguranças após retirar o adesivo da camisa.

“A ordem foi expressa. É um absurdo, ridículo o uso do clube pelo Petraglia. Senti minha liberdade de expressão violada. Vivemos em uma democracia e todos devem ter liberdade de expressar seu posicionamento político”, reclamou Machado, em contato com a Tribuna do Paraná.

Veja a classificação completa do Brasileirão

Ao tentar entrar na Arena, o advogado gravou um vídeo, mostrando os seguranças o impedindo de passar. Ao questionar o motivo do veto, um dos seguranças apenas disse que eram ordem superiores. Somente após jogarem fora os adesivos, os dois foram permitidos se encaminharem até as arquibancadas.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!