A decisão do Atlético em manter a entrada de torcida única nos jogos realizados na Arena da Baixada continua mobilizando torcedores do Rubro-Negro que não concordam com a medida. Grupos de atleticanos têm criado campanhas virtuais para que a proposta não vá adiante. A entrada exclusiva da torcida mandante no estádio foi proposta pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) e o Furacão, de forma voluntária, abraçou a sugestão. A medida está em vigor desde o dia 16 de maio, no jogo contra o Cruzeiro, pela Copa do Brasil, e já foi colocada em prática em um total de oito partidas até aqui.

Uma das ‘frentes‘ que tenta acabar com a determinação é o blog ‘Diga não à torcida única‘, criado por advogados e estudantes de Direito. O espaço virtual é utilizado para explicar as razões que fazem o grupo se posicionar contra o projeto e disponibiliza, ainda, um abaixo-assinado para quem também discorda. Outro grupo que tenta reverter a definição imposta pelo Atlético e o MP-PR é a TretisTV, maior canal não oficial do Atlético destinado a conteúdos sobre o Rubro-Negro. Utilizando a hashtag #TorcerÉHumano em suas postagens e incentivando que os demais torcedores utilizem, o objetivo da mobilização é mostrar que todos têm direito de torcer vestindo a camisa do time de preferência, em qualquer ambiente e com segurança.

LEIA TAMBÉM NA TRIBUNA: VOADORA NÃO FOI A PRIMEIRA POLÊMICA DO PROFESSOR GALDINO 

“Queremos que todas as torcidas, independente da cor: rubro-negras, tricolores, verdes e brancas, azuis e pretas, estejam conosco para mostrar aos ’engravatados’ que acompanhar seu time do coração é muito mais que entretenimento. É paixão, é emoção. Juntos, pelo direito de torcermos separados”, afirmam os membros da Tretis, que reforçaram a campanha utilizando o artigo 2 da Declaração Universal dos Direitos Humanos que diz: “Todo ser humano tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidos nesta Declaração, sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, língua, religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condição”.

O blog que contém o abaixo-assinado já conta com 1.563 assinaturas e também traz a citação dos direitos humanos como argumento para o fim da medida: “Pois, sendo o sujeito um fim em si mesmo, é preciso que os fins de outrem sejam por mim considerados também como meus”.

CONFIRA A TABELA E CLASSIFICAÇÃO DO BRASILEIRÃO!

A tentativa de fazer com que a diretoria do clube se sensibilize e mude a decisão não é de agora. Na semana que antecedia o jogo do Furacão contra o Flamengo, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, muitos torcedores atleticanos pediram o fim da medida reforçando como havia o grande risco de confusões dentro do estádio. Além disso, os atleticanos divulgarem nas redes sociais instruções para que a própria torcida orientasse aos visitantes a se dirigirem ao setor Coronel Dulcídio Superior do estádio.

Clique aqui para assinar o abaixo-assinado!

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!