O Atlético participa de sua sétima Copa Sul-Americana da história em 2018. A estreia do time no torneio foi em 2006, quando conseguiu o feito inédito de chegar às semifinais. O título daquele ano acabou ficando com o Deportivo Luque. Nas participações seguinte, o time ficou devendo, mas em 2015, conseguiu chegar às quartas de final, mesma fase que começa a disputar na edição deste ano contra o Bahia, nesta quarta (24).

Naquele ano, o Furacão  começou a disputa na competição contra o Joinville, eliminado depois de perder os dois jogos por 2×0 e 1×0. Habilitado às oitavas, bateu o modesto Brasília com uma vitória magra, por 1×0, e um empate. Foi então que o caminho do Rubro-Negro se cruzou nas quartas com o Sportivo Luqueño. A disputa começou na Arena, com uma vitória por 1×0, com gol de x. Mas no segundo jogo, o Furacão acabou castigado por 2×0 e deu adeus à competição. A Tribuna espera que, desta vez, a história seja diferente.

Weverton (Goleiro) – Atualmente titular absoluto no Palmeiras, o goleiro foi campeão olímpico com a camisa da seleção brasileira em 2016. Revelado nas categorias de base do Juventus, do Acre. Virou profissional no Corinthians em 2007 e foi emprestado ao Remo, Oeste, América-RN e pro Botafogo-SP, até ser comprado pela Portuguesa. Da Lusa, ele chegou ao Furacão, onde ficou por cinco anos, até ser negociado com o Palmeiras no final de 2017.

O goleiro Weverton, da SE Palmeiras, durante treinamento, na Academia de Futebol.
O goleiro Weverton, da SE Palmeiras, durante treinamento, na Academia de Futebol.

Eduardo (Lateral-direito) – Revelado pelo CRB e com passagens por Vasco, Joinville e Criciúma, Eduardo atualmente está na Chapecoense. Após a passagem pelo Atlético, Eduardo se transferiu para o Bahia, onde disputou as temporadas de 2016 e 2017.

Eduardo está na Chape. Foto: Divulgação/Chapecoense
Eduardo está na Chape. Foto: Divulgação/Chapecoense

Cléo (Atacante) – O atacante está vestindo a camisa do Cova da Piedade, de Portugal. O paranaense se profissionalizou no Olivais e Moscavide em 2004 e, de lá, foi comprado pelo Atlético. Em 2005, no entanto, foi emprestado ao Figueirense. Voltou ao Olivais entre 2006 e 2009 e foi emprestado, neste meio tempo, ao Red Star Belgrade. De lá foi para o Partizan, da Sérvia. Passou ainda por Guangzhou Evergrande e Kashiwa Reysol, antes de voltar para o Furacão em 2014. Em 2106 foi para o Goiás e, de lá, para sua atual equipe portuguesa.

Cléo está no futebol português. Foto: Divulgação/Cova
Cléo está no futebol português. Foto: Divulgação/Cova

Vilches (Zagueiro) – Contratado pelo Atlético com a expectativa de ser o xerifão da zaga, o chileno Christian Vilches veio com o status de jogador de seleção. Entretanto, o gringo não agradou e perdeu espaço com as chegadas de Paulo André e Thiago Heleno. Após a passagem pelo Furacão, Vilches se transferiu para o Universidad do Chile.

Vilches está no Universidad do Chile. Foto: Divulgação/Universidad do Chile.
Vilches está no Universidad do Chile. Foto: Divulgação/Universidad do Chile.

Kadu (Zagueiro) – Kadu era titular absoluto do Atlético, principalmente, na disputa do Campeonato Brasileiro. Por ter se destacado no Furacão, o zagueiro fechou com o Grêmio no início da temporada de 2016. Sem espaço no Tricolor gaúcho, ele foi emprestado à Ponte Preta. Atualmente, o defensor veste a camisa do Goztepe, da Turquia.

Kadu segue na ativa. Foto: Divulgação
Kadu segue na ativa. Foto: Divulgação

Roberto (Lateral-esquerdo) – Atualmente jogando ao lado de Eduardo na Chapecoense, Roberto começou no profissional do Bahia, onde ficou entre 2009 e 2001. Depois fez um tour pelo Nordeste. Passou pelo Bahia de Feira de Santana, pela Campinense, pelo Fluminense de Feira, Feirense e pelo Icasa. Em 2014, chegou ao Furacão, onde ficou por dois anos.  Na sequência, vestiu a camisa do Ferroviária, do Náutico, do Bragantino e do Santa Cruz, até fechar com a Chape em 2017. Chegou a ser emprestado ao Londrina nesta temporada, mas voltou pra Chape em agosto.

Roberto voltou pra Chape depois de passar alguns meses no Londrina. Foto: Sirli Freitas/Chapecoense
Roberto voltou pra Chape depois de passar alguns meses no Londrina. Foto: Sirli Freitas/Chapecoense

Otávio (Volante) – Revelado pelo CRB, foi contratado pra categoria de base do Atlético em 2008. Foi no Furacão que profissionalizou em 2014. Deixou o Rubro-Negro no ano passado em uma negociação com o Bordeaux, da França, onde está atualmente.

Otávio está no futebol francês. Foto: Divulgação/Bordeaux
Otávio está no futebol francês. Foto: Divulgação/Bordeaux

Hernani (Volante) – Prata da casa do Atlético, subiu pro profissional em 2013 e ficou no clube até 2016, com um rápido empréstimo ao Joinville. Foi negociado com o Zenit, da Rússia. Depois de um empréstimo de um ano ao Saint-Étienne, ele voltou para o Zenit na atual temporada.  

Hernani está no futebol russo. Foto: Divulgação/Zenit
Hernani está no futebol russo. Foto: Divulgação/Zenit

Dellatorre (Atacante) – Iniciou no profissional do Rio Preto em 2010, de onde seguiu para o Desportivo Brasil. Neste meio tempo, foi emprestado pro Internacional e pro Porto, antes de chegar ao Furacão, onde ficou de 2013 a 2016. Em 2014, teve breve passagem pelo Queens ParkRangers, de Londres. Em 2016 foi emprestado ao Suphanburi, da Tailândia, onde ficou até este ano, quando se transferiu para o APOEL, do Chipre.

Dellatorre está no futebol do Chipre. Foto: Divulgação
Dellatorre está no futebol do Chipre. Foto: Divulgação

Bruno Pereirinha (Volante) – Português revelado pelo Sporting, onde ficou de 2006 a 2013, passou ainda pelo Moscavide e pelo Vitória de Guimarães, com uma breve passagem pelo Kavala, da Grécia. Depois de passar mais um ano no Sporting, defendeu a Lazio entre 2013 e 2015, de onde foi pro Atlético. No ano passado, ele voltou pra Portugal e hoje defende o Cova da Piedade.

Bruno Pereirinha está no mesmo time de Cléo. Foto: Divulgação/Cova
Bruno Pereirinha está no mesmo time de Cléo. Foto: Divulgação/Cova

Daniel Hernández (Meia) – O colombiano está atualmente no San Lorenzo, da Argentina. Começou como profissional no Leones, da Colômbia, em 2011. Ainda no país natal, vestiu a camisa do Cortuluá, do Once Caldas e do Independiente. Em 2015 acertou com o Furacão e, em 2016, foi transferido para o Baniyas, dos Emirados Árabes Unidos, onde está até hoje.

Colombiano está no futebol argentino. Foto: Divulgação/San Lorenzo
Colombiano está no futebol argentino. Foto: Divulgação/San Lorenzo

Nikão (Meia) – O meia, que segue no Furacão, estreou como profissional em 2010 e ficou no time por quatro anos. Do Galo, rodou por empréstimo por Vitória, Bahia, Ponte Preta, América-MG, Linense e Ceará, até ter seus direitos federativos comprados pelo Rubro-Negro.

Nikão é o único remanescente do time de 2015. Foto: Jonathan Campos
Nikão é o único remanescente do time de 2015. Foto: Jonathan Campos

Marcos Guilherme (Meia) – Cria do Furacão, subiu pro profissional em 2014. Em 2017, defendeu o Dínamo Zagreb, da Croácia, de onde partiu pra uma breve passagem no São Paulo. Atualmente, vesta a camisa do Al-Wehda, da Arábia Saudita. Também fez parte da seleção brasileira sub-20.

Marcos Guilherme (à esquerda) está no futebol árabe. Foto: Divulgação
Marcos Guilherme (à esquerda) está no futebol árabe. Foto: Divulgação

Walter (Atacante) – Conhecido pelo seu físico avantajado, segue fazendo suas jogadas de habilidade, agora com a camisa do CSA. O recifense de 29 anos iniciou a carreira profissional no Internacional, onde ficou até 2010, quando se transferiu pro Porto. De lá, foi emprestado para Cruzeiro e Fluminense, até chegar ao Furacão em 2015. Em 2016, ele seguiu para Goiás, Atlético-GO e Paysandu, até chegar ao alagoano CSA. Walter também jogou pela seleção brasileira sub-20.

WEB_WALTER

Técnico: Cristóvão Borges

Atualmente sem clube, o treinador começou a carreira de técnico no Bangu, em 1998. Em 2004, foi auxiliar técnico da seleção sub-20, pra depois rodar por vários clubes brasileiros na mesma função, incluindo o Coritiba em 2001. Como treinador começou no Vasco, em 2011. Em 2013, foi para o Bahia, para no ano seguinte voltar pro futebol carioca, onde treinou o Fluminense e o Flamengo. Chegou em 2015 no Furacão e se despediu no ano seguinte para acertar com o Corinthians. Seu último clube foi o Vasco, em 2017.

Cristóvão Borges está sem clube. Foto: Divulgação/Vasco
Cristóvão Borges está sem clube. Foto: Divulgação/Vasco

APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!