Passada toda a polêmica em que se envolveu desde o último domingo, quando abandonou o banco de reservas na vitória por 2×0 sobre o Londrina, e passando pela confusão com a torcida organizada do Atlético, o atacante Walter agora quer manter o foco apenas dentro de campo.

Em entrevista coletiva realizada na manhã desta sexta-feira (15), no CT do Caju, o jogador aparentou estar tranquilo, em alguns momentos até descontraído e brincalhão, e só quer saber de entrar em campo contra o Paraná Clube, neste sábado (16), às 16h20, na Arena da Baixada, e mostrar que pode ser um jogador decisivo.

“Todo dia peço para estar bem para jogar, quero chegar e fazer um baita jogo. Jogador bom aparece nesses momentos e quero aparecer. O importante é o time vencer e se eu puder fazer gol, melhor. Mas não me empolgo tanto com isso”, afirmou o camisa 18 atleticano.

Para ser decisivo, Walter sabe que precisa marcar gols, o que não aconteceu ainda em 2016. Foram nove partidas e em nenhuma vez o atacante balançou as redes. Nada que incomode o jogador.

“Não atrapalha. Preciso fazer gols, mas não sou um nato matador, que faz gols. Até o Enderson (Moreira, técnico), que me conhece muito, disse que estava me estranhando, porque em 2013 fiz muitos gols. O Fred sim é um artilheiro e está nove jogos sem marcar gol, o Guerrero ficou um tempo também, acontece isso”, ressaltou ele, que já recebeu a notícia de que será titular contra o Paraná.

“Já conversei com eles (Walter e André Lima) e o Walter começa o jogo. A não ser que aconteça alguma coisa”, afirmou o técnico Paulo Autuori.