O meio-campo Paulo Baier não está escalado entre os titulares do Atlético para disputar o clássico contra o Paraná Clube, amanhã, mas quer ao menos o empate para cumprir a promessa feita no dia 4 de dezembro do ano passado, quando o Furacão, mesmo vencendo o Coritiba por 1 x 0, foi rebaixado. “O time vai voltar e eu sou o primeiro a ficar para ajudar a voltar”, declarou, logo após o Atletiba.

Agora, Baier não quer saber de que maneira o pontinho do acesso virá. O que ele quer é poder dizer que cumpriu a promessa. “É jogo importante, por isso pedimos para concentrar antes. Temos que buscar o resultado, não importa como. O importante é subir”, afirma.

Embora esteja a um empate da Série A, recebendo um adversário que encarou greve de jogadores, que vive uma crise econômica e vem de um jejum de quase cinco anos sem vencer o Atlético, Paulo Baier alerta que trata-se de um jogo decisivo e que não pode ocorrer margem de erro. “Cada jogo é diferente, cada jogo é um jogo. Temos que estar bem tranquilos e focados. Sabemos da responsabilidade, que é grande. Vamos entrar focados, buscando o nosso objetivo, vamos conseguir”, afirma.

Com a experiência longínqua de Série B e acesso, que vem desde o Criciúma, em 2002, o experiente meio-campo tem sido um dos incentivadores do elenco e relembra as dificuldades para chegra ao final do atual campeonato com boa condição de clasificar. “É o jogo mais importante. É complicado, mas temos condições de buscar. Foi um sacrifício muito grande durante o campeonato inteiro. Agora chegou o momento e estamos bem para fazer este jogo”, afirma.

Donos de boas palavras, Baier mantém a postura de líder, mesmo não sendo mais titular, chamando para si a responsabilidade de ir para a última entrevista coletiva antes do clássico. “Estou aqui porque este é momento importante, decisivo e é melhor eu vir e falar e deixar a rapaziada mais tranquila e descansando”, explicou o jogador.

Ainda com futuro indefinido, o autor de 52 gols com a camisa do Furacão espera resolver sua situação logo que passe o clássico. Por ora, o Paraná Clube é lhe tira 100% da concentração. “Não tem nada definido, vamos esperar este jogo. Tenho certeza que na segunda-feira teremos uma solução e vamos apresentar algo, se fico ou saio”, admite.