Fabrício, Jadilson e Rodrigo
deixaram a sua marca no jogo
que marcou a volta de Adriano à equipe.

O Atlético não está totalmente formado, mas a torcida não precisa se desesperar. A vitória sobre o Figueirense por 3 a 0, ontem na Arena, dá mostras de que o grupo tem qualidade e com os reforços que já chegaram e os que poderão chegar deixarão o Rubro-Negro está mais forte e pronto para defender o título de campeão brasileiro. Contra os catarinenses, o time jogou somente para o gasto, mas a garotada mostrou disposição suficiente para alegrar a torcida.

“O time jogou com inteligência, usou bem a velocidade, mas nunca vou me dar por satisfeito. Por mais que seja uma atuação convincente, por mais que seja o placar favorável sempre tem que se buscar mais”, destacou o técnico Valdyr Espinosa. Segundo ele, o time evoluiu muito após o primeiro amistoso contra o Joinville, mas ainda não está totalmente definido e deverá mudar em algumas peças. “As dificuldades que o Atlético que vai enfrentar este ano não são as mesmas que enfrentou no ano passado. De uma surpresa, hoje o clube é campeão brasileiro e o adversário vai vir com outro tipo de postura e nós temos que dar a resposta”, expôs.

Isso quer dizer que o volante Preto tem presença garantida no meio-de-campo assim que tiver condição de jogo. Espinosa já sabe qual é a técnica do jogador e não vai fazer teste com o novo contratado. Caso renove, Cocito deverá formar a dupla de marcação com ele. Se não, as outras opções são o novato Douglas ou até mesmo Alan, que cobriu bem a defesa novamente. Jogando com seriedade, o volante rubro-negro não deu chances para que o meio campo do Figueira criasse condições de perigo.

As surpresas da partida ficaram com os meias Fabrício e Rodrigo. Os dois voltaram a marcar e mostraram que também têm condições de vestir a camisa atleticana. Qualquer comparação com Kléberson é covardia, mas eles não fizeram feio na ausência do ídolo.

O primeiro gol do jogo saiu do oportunismo de Rodrigo. Após uma boa jogada de Fabiano e Dagoberto, o lateral cruzou na pequena área, o goleiro alvinegro rebateu no pé de Rodrigo que só teve o trabalho de empurrar para o fundo do gol. Uma semana atrás, em Joinville ele também deixou a sua marca. Ainda no primeiro tempo, Fabrício cobrou uma falta com maestria e repetiu o gesto da de sua estréia pelo Atlético.

Na segunda etapa, os dois times alteraram bastante suas formações e a partida caiu em qualidade. Não para Jadílson, que aproveitou uma bobeira da zaga catarinense para decretar o placar final da partida. O zagueiro Donizete deu um presente para o jovem atacante que fuzilou de fora da área. Apesar de alguns jogadores não terem jogador por falta de contrato e outros ainda por vir, a torcida saiu satisfeita com o desempenho dos garotos.