Foto: Orlando Kissner/Tribuna
 Neguete foi destaque e devolveu tranqüilidade à defesa.

?Taticamente foi a melhor atuação do Paraná Clube neste estadual?. Esta foi a análise do técnico Luiz Carlos Barbieri após a terceira vitória na competição. Ao derrotar o Toledo (2×0), no Estádio 14 de Dezembro, o Tricolor ocupa a terceira colocação do Grupo B e encaminhou sua classificação para a próxima fase do Paranaense. Uma situação bem diferente da vivida pelo clube nas últimas três temporadas, onde só lutou para se manter na elite. De quebra, o time de Barbieri quebrou mais um tabu: desde 2004 o Tricolor não faturava dois jogos seguidos no interior do Estado.

A última seqüência de vitórias jogando fora de casa, em campeonatos paranaenses, ocorrera no ?memorável? torneio da morte, há dois anos. No quadrangular que definiria dois clubes rebaixados para a Série Prata, o Paraná passou por Prudentópolis (2×1), jogando no Emílio Gomes – o Prude havia perdido o mando do jogo -, e Grêmio Maringá (4×1), no Willie Davids. Só que agora, os objetivos são outros. O primeiro passo é garantir vaga na próxima fase, mas a meta final é recuperar a hegemonia do futebol doméstico, título que o Tricolor não comemora desde 1997.

Os resultados positivos, sobre Adap e Toledo, devolveram ao time a confiança. A certeza de um bom campeonato havia sido abalada após uma seqüência de quatro jogos sem vitória. Após duas vitórias, o Paraná elevou para 57,14% o seu aproveitamento. ?Estamos no caminho certo, mas há muito o que melhorar. O time vai crescer individualmente?, disse Barbieri. O que mais agradou ao treinador na partida em Toledo foi o fato de seu time conseguir quebrar o ritmo do adversário e impor seu padrão de jogo. ?Assim, não corremos riscos na partida. O time foi coeso?.

O goleiro Flávio concorda. ?Desta vez, a vitória veio sem sustos?, disse. O goleiro reclamou do posicionamento do time no jogo contra a Adap, onde o adversário perdeu dois pênaltis e acertou três bolas na trave. Na última quarta-feira, o Pantera fez uma grande defesa e ainda viu a bola parar no travessão numa cobrança de escanteio. Essas, a rigor, foram as duas únicas chances do Toledo. ?A zaga foi precisa e o time encaixou o sistema de marcação?, analisou.

Com essa eficiência, o Tricolor, pela segunda vez na temporada, deixou o gramado sem sofrer gols. ?O torcedor é imediatista. Mas, aos poucos o time está se encaixando?, completou o zagueiro Neguete, que fez a sua melhor partida no estadual. O equilíbrio, determinante para que o time conseguisse a sua terceira vitória, fará com que Barbieri não mexa no time. Mesmo tendo dois dias de treinamentos em Maringá, o Paraná terá, frente ao Roma, a mesma formação utilizada na última rodada do primeiro turno.

Obras na Vila Capanema a mil por hora

Maringá – Dentro de uma semana a etapa pré-moldada da curva norte estará pronta. As obras prosseguem em ritmo acelerado na Vila Capanema e o objetivo é deixar o estádio em condições de uso já para a fase final do Campeonato Paranaense. Uma corrida contra o tempo, já que as quartas-de-final do estadual serão disputadas a partir de 12 de março. Na quarta-feira foram colocados os primeiros pilares desse setor, que será responsável pela ampliação da capacidade do Durival Britto para 16 mil torcedores.

?Esta é a nossa meta. A procura por camarotes continua atendendo nossas expectativas e acredito que a partir do levantamento da curva norte – que receberá catorze degraus -também haverá uma participação mais efetiva do torcedor nas contribuições espontâneas e na compra dos produtos?, disse o vice-presidente Márcio Villela. A obra, estimada em R$ 1,5 milhão, está sendo custeada com valores próprios arrecadados com a campanha ?Vila, tá na hora!?. Além da ampliação da curva norte, o estádio receberá 56 camarotes, sendo que há apenas dez unidades disponíveis.

O gramado da Vila Capanema já está pronto, tanto que antes da viagem para o interior do Estado, o time principal realizou seu último treino no Durival Britto. ?Assim que a etapa pré-moldada esteja concluída, outras frentes serão intensificadas?, disse Villela. O fosso para a colocação dos elevadores de acesso aos camarotes, por exemplo, já está praticamente concluído.

?Estamos caminhando de acordo com as nossas possiblidades. O objetivo é entregar ao nosso torcedor um estádio confortável e digno das nossas tradições?, comentou o presidente José Carlos de Miranda. O dirigente não escondeu a satisfação com o fato da CBF ter mantido em 15 mil torcedores a capacidade mínima dos estádios para o Brasileirão-2006.

Beto dedica golaço ao filho

Maringá – Beto fez seu primeiro gol no Paranaense. E logo um golaço, com direito a uma ?pedalada? no ar. O capitão era só alegria na manhã seguinte à vitória sobre o Toledo. No ?refúgio? de Cascavel, o jogador sequer teve a condição de ver o gol na telinha. ?Fico com a palavra de vocês e dos meus companheiros. Só sei que foi um gol importante?, disse o volante. Beto dedicou o gol de bicicleta ao seu filho Bruno, de 3 anos.

Beto lembra exatamente como foi o lance: ?o Maicosuel fez a jogada e quando eu dominei no peito, a bola subiu. Meu único recurso foi tentar a bicicleta?. O volante não teve a noção exata do que aconteceu porque ao se levantar viu apenas a bola batendo no travessão. ?Dei um pouco de sorte no lance, mas o que interessa é que vencemos?. O amigo Rafael Muçamba confirma que foi mesmo um golaço.

?Na hora, nem imaginei que o Beto tentaria a bicicleta?, disse Muçamba. ?Eu já estava na corrida, pedindo a bola. Mas, quando vi o que ele fez, foi só correr para abraçá-lo?. Esta não foi a primeira vez que Beto fez um belo gol.

No ano passado, em Paranaguá, o volante acertou um ?balaço? no ângulo do goleiro Márcio Vieira e o Paraná venceu o Rio Branco, também, por 2×0. Só que dessa vez, o volante espera que o futuro do clube seja muito melhor. ?Estamos no caminho certo para garantir uma vaga na próxima fase. Vamos seguir assim, um passo de cada vez?.