Madrid – O Barcelona juntou-se ao arqui-rival Real Madrid e ao Manchester United na corrida para contratar Ronaldo. O presidente da Inter, Massimo Moratti, continua garantindo que não negocia o atacante. Mas um dos empresários do Fenômeno, Alexandre Martins, sustenta que o jogador não quer mais ficar no clube. Ronaldo volta hoje à noite para a Itália, segundo outro de seus empresários, Reinaldo Pitta. Isso se não ocorrerem “novidades” durante o dia. Se viajar, o artilheiro corre o risco de não ser bem recebido pelos torcedores da Inter, caso tenham se influenciado pela “ira” da imprensa italiana, que até insinuou que ele está agindo como um “traidor”.

O interesse do Barcelona foi revelado ontem pelo presidente do clube, Joan Gaspart, ao jornal espanhol As. Gaspart disse ter informado aos empresários de Ronaldo que, se o jogador quiser retornar ao clube onde jogou entre 1996 e 1997, está disposto “a tirar dinheiro debaixo das pedras” para viabilizar o negócio.

Só que o interesse do Barça parece não ter empolgado. Alexandre Martins já conversou com o diretor técnico do Real Madrid, Jorge Valdano, e ontem declarou ao jornal Marca que, “se Ronaldo não for para o Real, ficará na Inter. Não existe outra opção”.

A declaração afastaria, também, a possibilidade de o artilheiro ir para o Manchester United, numa negociação que, comenta-se na Inglaterra, poderia ter a participação da Nike. A empresa patrocina o jogador e o clube inglês e a transferência seria interessante como estratégia de marketing.

O Manchester informa, por meio de seu site na internet, que Ronaldo foi oferecido ao clube quinta-feira pelo empresário Reinaldo Pitta. O clube se disporia a pagar US$ 63 milhões para ter o Fenômeno. Oferta melhor do que a do Real, que chegaria “apenas” a US$ 60 milhões. Ao jogador, o clube espanhol propõe pagar US$ 4 milhões por ano, mais prêmios e comissão por participação em campanhas publicitárias.

Infelicidade

Martins reiterou ontem que Ronaldo não pretende cumprir seu contrato com a Inter, que termina apenas em 2006. “Ele não quer mais jogar na Inter e só continuará se for obrigado. Ele está infeliz há quatro anos no clube e não acredita que essa situação vá mudar.”

O presidente da Inter, Massimo Moratti, no entanto, mantém sua posição de que Ronaldo é inegociável. “Seu empresário diz que ele quer jogar no Real Madrid. Mas, comigo, não falou uma só palavra. E se o Ronaldo não quer cumprir o seu contrato, tem de me dizer numa conversa cara a cara.”

Para o dirigente, os problemas de Ronaldo com o técnico argentino Héctor Cúper, que vive demonstrando má vontade em aproveitá-lo é o principal motivo de o jogador não querer continuar na Inter, são “mínimos e superáveis”. Hoje, Moratti deve conversar com Martins, que está em Milão. Desse encontro podem surgir as “novidades” que adiariam a viagem de Ronaldo para a Itália.

Judas?

A imprensa italiana decidiu atacar Ronaldo. Critica o jogador por querer dar as costas ao clube que lhe apoiou nos anos de dificuldade. O site do La Gazzetta dello Sport, inclusive, colocou no ar uma pesquisa, perguntado se Ronaldo está traindo a Inter. O atacante foi alvo também do Sport, de Barcelona, que o chamou de “Judas” num artigo em que usou termos pesados como “mercenário” por, segundo o jornal, ser um jogador “cujo único interesse é econômico”.

O substituto? Ronaldinho

Milão

(AE) – Apesar de os dirigentes da Internazionale de Milão baterem o pé, garantindo que não vão negociar Ronaldo, o clube já definiu o substituto ideal para o Fenômeno: Ronaldinho Gaúcho. Se não conseguirem manter no elenco o artilheiro da última Copa do Mundo, a intenção dos italianos é oferecer US$ 30 milhões ao Paris Saint-Germain pelo atacante, de 22 anos.

O raciocínio dos cartolas milaneses é o seguinte: se Ronaldo deixar a Inter, o clube, que espera receber pelo menos US$ 100 milhões, terá como investir na contratação de Ronaldinho e também na do zagueiro Nesta, da Lazio (proporia US$ 35 milhões ao time da capital italiana), e ainda ficaria com um bom dinheiro em caixa.

Há alguns meses, a Inter já havia demonstrado interesse por Ronaldinho Gaúcho, mas o PSG não topou sequer conversar. Agora, porém, a situação é outra. O Canal Plus, controlador do clube francês, passa por dificuldades financeiras e precisa “fazer caixa”. Um mês atrás, colocou o atacante brasileiro à venda por US$ 45 milhões, mas não encontrou comprador. Por isso, calculam os cartolas da Inter, os franceses aceitariam agora uma proposta de US$ 30 milhões.

No entanto, para contar com Ronaldinho, a Inter teria de abrir mão do zagueiro paraguaio Gamarra, recentemente contratado. O problema é que a nova regulamentação da Liga Italiana permite a contratação de apenas um jogador não-comunitário antes de 31 de agosto. Assim, a solução seria emprestar Gamarra a uma outra equipe por uma temporada, para poder inscrever Ronaldinho Gaúcho imediatamente no Italiano.