Madri – O Barcelona também tirou proveito da decadência dos “galáticos”. No clássico de ontem, em Madri, o Barça ganhou de virada por 2 a 1 e complicou a vida do Real na luta pelo título espanhol além de ter garantido matematicamente sua presença na próxima edição da Liga dos Campeões. O time está em terceiro lugar com 66 pontos, quatro a menos que o Real e cinco a menos que o líder Valencia, que empatou fora de casa com o Athletic de Bilbao por 1 a 1. Faltam quatro rodadas.

A vitória foi comemorada nas ruas de Barcelona como se o time tivesse ganho o título. Era a satisfação de bater o maior rival no Santiago Bernabeu algo que não acontecia desde 1997 e ter aumentado para 16 rodadas a invencibilidade no Campeonato Espanhol, com 13 vitórias e três empates.

Em seu primeiro jogo contra o Real com a camisa do Barça Ronaldinho Gaúcho foi decisivo. Estava tendo uma atuação discreta até os 25 minutos do segundo tempo, quando acordou. E nos 20 minutos finais foi um tormento para a defesa do Real, coroando sua atuação com um passe maravilhoso para Xavi fazer o gol da vitória aos 41 minutos.

“Foi uma partida magnífica. Jogamos para vencer e conseguimos. Estou muito orgulhoso de meus jogadores”, disse o técnico Frank Rijkaard.

No Real Madrid, sobraram críticas ao árbitro Perez Burrull que expulsou Figo aos 24 minutos do segundo tempo, quando o jogo estava 1 a 1.

“O árbitro atuou com má intenção e foi muito prepotente durante toda a partida. Não encostei em Puyol e não entendo até agora o motivo de minha expulsão”, disse Figo. Roberto Carlos também se queixou. “O árbitro errou em quase tudo. Não deveria ter expulsado Figo e não viu que Puyol salvou um gol em cima da linha usando a mão.”

O lateral acha que a torcida não tem motivo para ficar preocupada. “Jogamos bem, criamos várias chances e tenho certeza de que os torcedores gostaram de nossa apresentação. Continuamos na briga pelo título.”

O Real saiu na frente com um gol do argentino Solari que foi titular por causa da contusão de Ronaldinho aos nove minutos do segundo tempo. Dois minutos depois, Rijkaard trocou Saviola e Overmars por Kluivert e Luis Enrique. E deu sorte, porque aos 13 minutos Kluvert empatou.

Depois que Figo foi expulso, o Barça tomou conta do jogo. Ronaldinho Gaúcho assumiu o comando do time e começou a infernizar o Real.

Aos 35 minutos, fez uma fila e cruzou na cabeça de Kluivert, que tocou para fora. Seis minutos depois, colocou o pé embaixo da bola e jogou por cima da defesa para Xavi entrar livre e marcar.

Na próxima rodada, o Real jogará fora de casa contra o La Coruña e não terá Figo e Helguera, ambos suspensos. O Barça receberá o Espanyol e o Valencia jogará em casa contra o Betis.