Culiacán, México

– A seleção brasileira feminina de basquete estréia hoje, à meia-noite (de Brasília), no Torneio Pré-Olímpico do México. Brasil x Chile fecham a rodada, que terá, ainda, República Dominicana x Cuba, seguido de Canadá x Argentina.

“Vou entrar em quadra como se fosse meu primeiro campeonato defendendo o Brasil. E isso me dá uma motivação a mais, porque é muito importante para o atleta jogar por seu país. Ganhar o Pré-Olímpico vai ser um desafio em minha carreira já que apenas o campeão vai garantir vaga para a Olimpíada”, disse a ala Janeth, de 34 anos.

Sobre as duas primeiras partidas, as mais fáceis da competição – o segundo jogo será contra o México, quinta-feira, no mesmo horário -, o técnico Antônio Carlos Barbosa afirmou que a equipe brasileira está “muito bem preparada”. “Até a fase final, no fim de semana, faremos mais seis treinos, que serão suficientes para o acerto do time. O Chile é praticamente a mesma equipe que derrotamos no sul-americano e não devemos encontrar dificuldades para vencer.”

Apesar do otimismo de Barbosa, a equipe brasileira não terá chance de cometer erros no pré-olímpico. Isso porque a competição oferece apenas ao campeão, uma vaga nos Jogos Olímpicos de Atenas.

“A cobrança e a responsabilidade são grandes e sabemos que não podemos cometer erros. A seleção é considerada a favorita e isso serve como uma motivação a mais para classificar o Brasil”, disse a ala Iziane.

Segundo as regras do torneio disputado em Culiacán, no México, as seleções jogam entre si nos seus grupos e as duas primeiras se classificam para as semifinais.

O Brasil está no Grupo A, junto com Chile e México. O Grupo B é formado por Argentina, Canadá, Cuba e República Dominicana.

“Cada jogadora sabe o papel que deve desempenhar em quadra para ajudar o Brasil a conseguir a classificação para a quarta Olimpíada seguida da equipe feminina brasileira. Com todo respeito aos adversários, estamos aqui para conquistar a única vaga das Américas”, comentou a pivô Cíntia Tuiú.