A seleção brasileira masculina de basquete enfrenta o Chile, hoje, às 18h30 (de Brasília), no ginásio El Cilindro, em Montevidéu, com Sportv, em confronto decisivo para chegar à final do Sul-Americano. Se vencer, o Brasil praticamente garante vaga na decisão de domingo.

O time brasileiro tenta manter seu amplo favoritismo contra um adversário pouco expressivo no cenário internacional: enquanto o Brasil ganhou 15 das 39 edições do Sul-Americano, os chilenos conquistaram o torneio apenas uma vez, em 1937. “O Chile está renovando sua equipe. O Brasil leva vantagem por ser um time experiente e bem mais alto, mas não podemos subestimá-los. Temos de ficar atentos na defesa, porque é um adversário veloz”, disse o pivô Anderson Varejão, que está jogando o torneio depois que a Confederação Brasileira de Basquete acertou o seguro do atleta do Barcelona.

Brasileiros e chilenos se enfrentaram 35 vezes em Sul-Americanos, com 28 vitórias do Brasil e sete do rival. No último confronto, em 2001, o Brasil ganhou por 86 a 70.

“Podemos nos esforçar muito, mas sabemos que o basquete chileno é bem inferior ao de outras equipes. Os jovens do país não se interessam pelo esporte”, afirmou o argentino Daniel Allende, treinador da seleção chilena. A maior esperança de Allende é o pivô Patricio Briones, de 2,10m, principal destaque do Chile.

Além de Brasil x Chile, a rodada de hoje terá Venezuela x Argentina e Uruguai x Paraguai. Amanhã, o Brasil encerra a participação na primeira fase contra a Venezuela. As duas equipes que somarem mais pontos se classificam para a final no domingo. O terceiro e quarto colocados jogam pela medalha de bronze. Os quatro melhores times garantem vaga para o Pré-Olímpico, enquanto os três primeiros estarão nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, na República Dominicana.

Sub-21

As meninas do Brasil estréiam hoje, às 16h (de Brasília) contra a seleção da casa, no Mundial da categoria, em Sibenik, na Croácia.