Vaiado por uma pequena parte da torcida do Morumbi que acompanhava a derrota do São Paulo, por 2 a 1, para o Atlético-PR pelo Campeonato Brasileiro, o técnico Edgardo Bauza justificou a substituição do meia Kelvin, que vinha sendo um dos melhores jogadores em campo.

“Kelvin saiu porque pediu para sair. Senão continuaria, porque ele causa muitos problemas (para os adversários), é um jogador que desequilibra. E depois o Ytalo terminou a partida anterior muito cansado, tinha de sair porque ele não pode jogar toda a partida. Nada mais que isso”, justificou. A bronca vinda da arquibancada ficou ainda maior por causa da manutenção de Alan Kardec em campo. O jogador não fez uma boa partida e, mesmo assim, acabou atuando os 90 minutos.

Apesar de lamentar o resultado, o argentino fez questão de lembrar que está sofrendo com muitos desfalques para montar sua equipe nas últimas semanas. “No banco tínhamos cinco ou seis jogadores com menos de 20 anos. É outra história. Esperamos que os jogadores se recuperem para se juntarem ao grupo o quanto antes”, ressaltou.

Além não poder contar com Hudson, Michel Bastos, Mena e Wesley, lesionados, e com Ganso e Rodrigo Caio, que estão defendendo a seleção brasileira na Copa América, o treinador teve uma baixa de última hora para enfrentar a equipe paranaense.

O atacante Calleri deixou o Morumbi chorando minutos antes de a partida começar após ser informado do falecimento de seu melhor amigo, vítima de acidente de moto em Buenos Aires, na Argentina.