Apesar de o beisebol ser um esporte bastante tradicional na América Latina, tanto que alguns dos principais jogadores da Liga Profissional Norte-Americana são cubanos, dominicanos ou venezuelanos, o esporte ainda não conseguiu destaque no Brasil.

Com a inauguração de um moderno centro de treinamentos em Ibiúna, interior paulista, a Confederação Brasileira de Beisebol aposta no aparecimento e desenvolvimento de novos talentos na modalidade.

E os resultados não demoraram a vir: no último campeonato pan-americano juvenil, encerrado domingo, em Cali, Colômbia, os garotos do Brasil conseguiram um honroso quarto lugar, ficando atrás apenas de Colômia, México e Venezuela. Além disso, o Brasil teve três atletas entre os destaques individuais da competição: o paulista Kaick Seiki Shimabukuro foi eleito o melhor receptor do campeonato; o maringaense Diogo Nakaie foi o melhor primeira-base; e o curitibano Lucas Salomão, melhor jardineiro-central.

Além de Diogo e Lucas, o Paraná cedeu mais cinco atletas à seleção: Lucas Matsuda e Mathaus Kreusch, de Maringá, e Itamar Kirchner Jr.,Victor Ferreira e André Yokoo, de Curitiba.

Na categoria adulto, a seleção brasileira está em fase de preparação para a Copa do Mundo, que começa dia 2 de setembro, na Holanda. Além dos donos da casa, o Brasil enfrentará Cuba, Canadá, Coréia do Sul, China Continental, Panamá, Suécia e África do Sul. O objetivo é, ao menos, repetir a inédita 7.ª posição, alcançada na última edição do campeonato, em Cuba.

(Roger Pereira, especial para O Estado)