A única esperança do País ainda na luta pelo título do Brasil Open é Thomaz Bellucci. O brasileiro superou nesta quinta-feira o austríaco Andreas Haider-Maurer por 2 sets a 1 – com parciais de 7/6 (7/4), 5/7 e 6/3 – e avançou na competição disputada no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. Nas quartas de final, o adversário será o eslovaco Martin Klizan, que não se intimidou com o favoritismo do terceiro cabeça de chave e derrubou o espanhol Marcel Granollers em sets diretos – parciais de 6/4 e 6/3.

O canhoto de Tietê (SP) começou o jogo implacável. Logo de cara quebrou o saque do austríaco e confirmou o seu serviço, abrindo 2/0. O adversário foi em busca do prejuízo e no sexto game conseguiu empatar por 3/3. Entre alguns ralis, a primeira parcial só foi decidida no tie-break. Com dois aces seguidos, Bellucci conseguiu ditar o ritmo e largou na frente ao aplicar 7/6 (7/4).

O segundo set foi bastante equilibrado e a primeira quebra de serviço veio de Haider-Maurer em um momento decisivo. O brasileiro não conseguiu devolver a quebra e cedeu a parcial para o austríaco, que fechou a parcial em 7/5.

A resultado desconcentrou Bellucci, que quase foi surpreendido no primeiro game do terceiro set. Mas ele conseguiu reverter o panorama, confirmou o serviço e ainda quebrou o adversário no game seguinte, fazendo 2/0. Um dos pontos foi alvo de reclamações do austríaco com o juiz de cadeira. O brasileiro passou a confirmar os seus games com mais facilidade que o rival. O game final foi acirrado, mas o brasileiro levou a melhor e fechou a parcial em 6/3 e o jogo em 2 sets a 1.

Mais cedo, Rogério Dutra Silva teve dificuldade, sentiu o cansaço e acabou derrotado pelo italiano Paolo Lorenzi por 2 sets a 0, em 1 hora e 11 minutos de jogo. O paulista se juntou aos já eliminados João Souza, o Feijão, Guilherme Clezar e Bruno Soares nas duplas e deixou Bellucci como único sobrevivente do Brasil.