A seleção brasileira masculina de vôlei estreia na fase final da Liga Mundial nesta quarta-feira, às 21 horas (de Brasília), contra um adversário bem conhecido e freguês: a Argentina.

O Brasil jamais perdeu esse confronto na história da Liga Mundial – foram 18 vitórias em 18 jogos – e os argentinos fizeram a pior campanha da primeira fase, com 12 derrotas em 12 jogos. Só disputarão as finais por serem o país-sede – a disputa acontecerá na cidade de Córdoba.

Ainda assim, o técnico Bernardinho acredita que sua equipe terá muitas dificuldades para começar com triunfo. “Será uma pedreira. A Argentina teve a oportunidade de fazer dois amistosos com Cuba, na semana passada, e ainda fez um jogo-treino contra a Rússia, neste fim de semana. É um time que está bem preparado, e o Weber (técnico) teve a chance de fazer várias mudanças a equipe”, explicou, em entrevista ao site da Confederação Brasileira de Vôlei.

“Eles vão jogar sem responsabilidade, com o apoio da torcida. O Brasil vai entrar sempre com a pressão de ganhar”, completou Bernardinho.

O técnico da Argentina, Carlos Weber, jogou o favoritismo para os visitantes. “O Brasil é o melhor time do mundo. Sempre tem jogadores que podem fazer a diferença. Para a Argentina, será um prova importante dentro do nosso objetivo: manter o ritmo de jogo todo o tempo, do primeiro ao último minuto. Este é o nosso desafio”, afirmou.

A seleção brasileira buscará seu nono título da Liga Mundial. A Argentina, inclusive, traz sorte ao time de Bernardinho – foi lá que conquistou o Campeonato Mundial de 2002.