O presidente da Fifa, Joseph Blatter, vai deixar o Brasil durante a realização da Copa das Confederações e só deve retornar para a grande final, marcada para o dia 30 de junho, no Maracanã. A entidade garante que a decisão de ir embora não tem qualquer relação com os protestos que estão acontecendo em diversas cidades brasileiras, inclusive nos estádios da competição. O dirigente vai para a Turquia, acompanhar a abertura do Mundial Sub-20, marcada para sexta-feira.

Ao explicar o motivo de deixar o Brasil no meio da Copa das Confederações, Blatter disse que o Mundial Sub-20 é “o segundo torneio mais antigo da Fifa e uma das competições mais importantes, envolvendo 24 times e onde tantos talentos foram revelados”. “Como presidente da Fifa, considero ser importante estar lá quando a ação começar”, justificou o cartola.

A Fifa garantiu que sua saída do Brasil neste momento não tem qualquer relação com a segurança pessoal de Blatter, diante dos protestos que também criticam a entidade e a realização da Copa das Confederações. E também afirmou nem mesmo o número de policiais que o protegem durante a passagem pelo País foi elevado nos últimos dias.