Da Silva, Tcheco e Roberto Brum tentam
tomar “de assalto” a bola de Róbson,
que marcou o único gol baiano.

O Coritiba está novamente na zona de classificação no Brasileirão 2002. A bela vitória por 2 a 1 sobre o Bahia, ontem, no Estádio da Fonte Nova, em Salvador, além de recuperar a equipe alviverde no campeonato, serviu para deixar mais “apimentada” – para pior, é claro – a situação do Bahia. Ao término da partida, a torcida baiana, revoltada, pediu a “cabeça” do técnico Bobô.

Mas se pelo lado do Tricolor Baiano são só problemas, do lado do alviverde é tudo alegria. Pelo menos após esse ótimo resultado. A equipe mostrou um futebol bem mais eficiente do que o apresentado na partida contra a Ponte Preta, quando perdeu por 2 a 0. Essa evolução, aliás, rendeu vários elogios por parte do técnico Bonamigo. “A equipe soube manter a tranquilidade após o empate baiano e chegou merecidamente à vitória”, disse. E completou: “Essa melhora vai motivar ainda mais o Coxa e a sua torcida para o restante do campeonato”.

Mesmo sem alguns dos seus melhores jogadores mostrando o que sabem, o que se viu na partida foi um Coritiba eficiente em todos os setores. A defesa mostrou segurança e Danilo foi fundamental para o resultado. Isso sem falar no goleiro Fernando que fez, no mínimo, quatro belas defesas. Já na meia cancha, o time deixou claro que está muito bem servido. Com um Lúcio Flávio sem mostrar o seu melhor futebol, Tcheco e Roberto Brum roubaram a cena e deram a qualidade que o time precisava.

No ataque, Da Silva e Lima passaram a imagem de um ataque entrosado, criando várias oportunidades. Além disso, ambos protagonizaram um belo lance que resultou no primeiro gol alviverde.

Dois golaços

Ganhar já é bom, mas com gol bonito é melhor ainda. E foi isso que o Cori fez ontem, contra o Bahia, em Salvador. Até a metade da primeira etapa, ambas as equipes mostraram equilíbrio. Após isso, o Coxa foi aos poucos conseguindo dominar as ações do jogo. E quando parecia que não haveria gol no primeiro tempo, Da Silva deu um belo passe para Lima, que bateu de primeira. A bola pegou na trave, no goleiro e entrou. Isso tudo aos 44 minutos.

Já no segundo tempo, a coisa mudou de figura. O técnico do Bahia, Bobô, fez duas alterações no intervalo e o Bahia voltou mais agressivo. Um Coritiba recuado aguentou a pressão baiana até os 29 minutos, quando o atacante Rob-gol – num lance em que a defesa coxa pediu impedimento – empatou a partida. O resultado acordou o Coritiba. Bonamigo colocou Alexandre Fávaro no lugar de Lima e logo depois trocou Da Silva por Jabá. As mudanças deram resultado, tanto que após um belo passe de “trivela” de Tcheco pela direita, Jabá fez o “corta-luz” e Fávaro definiu o placar, aos 41 minutos da etapa final.

Ex-juniores derrubam um tabu histórico

Com a vitória por 2 a 1 sobre o Tricolor baiano, ontem, em Salvador, o Coritiba quebrou uma “escrita” de nunca ter vencido o Bahia na Fonte Nova em campeonatos nacionais. Com isso, Lima e Alexandre Fávaro se tornam os principais personagens na importante e histórica vitória alviverde.

No caso de Lima, outro fato marcou sua participação na partida de ontem: ele marcou seu primeiro gol em um campeonato nacional. “Dedico esse gol à minha esposa Jaqueline e à minha mãe, que sempre me ajudaram e incentivaram”, comentou, emocionado, no intervalo do jogo.

Já para o autor do segundo gol alviverde, o meia Alexandre Fávaro, a euforia era por conta da credibilidade dele com o técnico Bonamigo. “Eu só tenho que agradecer a confiança que o Bonamigo tem depositado em mim. Sempre vou procurar retribuir da melhor forma possível”, ressaltou.

O Coxa tem outra “parada dura” já nesta quarta-feira, no Estádio Couto Pereira, em Curitiba. O Verdão enfrenta o Flamengo, abrindo uma série de três partidas que fará dentro dos seus domínios.