A Justiça absolveu nesta sexta-feira o responsável pela Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), Raimundo Nonato Tavares (o ex-jogador Bobô), e o ex-diretor técnico da superintendência, Nilo dos Santos Júnior, da acusação de homicídio e lesão corporal culposos na tragédia da Fonte Nova. No episódio, ocorrido em 25 de novembro de 2007, sete pessoas morreram depois que ruiu um trecho da arquibancada superior do estádio localizado em Salvador.

Segundo a ação, proposta pelo Ministério Público da Bahia, a Sudesb não promoveu a “imprescindível manutenção e reparação da estrutura física” do estádio, o que denotava “imprudência” e “negligência” na liberação do local para a realização de eventos esportivos.

A audiência que culminou na decisão do juiz da 11.ª Vara Criminal de Salvador, José Reginaldo Nogueira, durou menos de meia hora. O magistrado considerou não haver provas suficientes para condenar os acusados. Agora, o Ministério Público tem 30 dias para recorrer da sentença.