Há sete anos, o comerciante Marcos Henrique de Almeida ganhou de seu pai, Antônio Carlos, uma herança de valor inestimável para os amantes do futebol: uma bola autografada pelo rei Pelé (foto), utilizada em uma das goleadas protagonizadas pelo inesquecível time do Santos de 64, tetracampeão paulista.

A bola, de couro puro, a chamada “capotão”, foi utilizada na partida entre o Peixe e o Botafogo-SP, vencida pela equipe santista por 11 a 0, com oito gols de Pelé. A partida aconteceu no dia 21 de novembro de 1964 e foi apitada pelo árbitro Carlos Drummond da Costa. É justamente na figura do juiz que se desenrola o caminho que a valiosa bola tomou. Costa trabalhava com Antônio Carlos na fábrica da empresa de materiais elétricos Borghoff, em São Paulo, e deu a bola ao amigo. Depois de um tempo, segundo conta Marcos Henrique, Costa tentou reaver a bola, em função do grande sucesso que Pelé estava fazendo. Mas Antônio Carlos não abriu mão da relíquia e a guardou até o dia de sua morte, deixando-a para o filho Marcos.

Mesmo sabendo da importância da bola, o comerciante pretende desfazer-se dela, uma vez que necessita de capital para abrir um novo negócio. Por isso, ele está aceitando propostas para se desfazer dela. Quem estiver interessado nesta relíquia do atleta do século, basta procurar o proprietário. O telefone de contato de Marcos é 627-2227.