Ao vencer sua bateria nas eliminatórias dos 100m do Mundial de Daegu, no sábado, Usain Bolt deixou a pista do Daegu Stadium sorrindo e parou para falar individualmente com diversos jornalistas presentes na zona mista. Neste domingo, após queimar a larga e ser desclassificado da final da prova, foi breve ao falar com a imprensa.

Apenas perguntou: “Querem me ver chorar?”. E ele mesmo avisou: “Isso não vai acontecer”, se limitou a dizer o jamaicano campeão olímpico e recordista mundial dos 100m.

Diante das críticas mundiais à regra implantada em 2010, que passou a eliminar todo e qualquer atleta já na primeira vez que queimasse a largada, a Federação Internacional de Atletismo (IAAF) se viu na obrigação de se pronunciar.

“É sem dúvida uma pena a saída falsa de Usain Bolt, mas é importante recordar que a credibilidade de um esporte depende de suas regras, e estas devem ser aplicadas de maneira coerente e justa para TODOS os atletas”, reforça a IAAF.

Bolt tem mais duas chances de faturar medalhas de ouro em Daegu: nos 200m, prova em que é recordista mundial e atual campeão olímpico, e no revezamento 4x100m.