Edinho volta à zaga e Edu Sales ao ataque
do Coritiba, amanhã, contra o Santos.

Não adiantaram os avisos, muito menos os pedidos. A derrota do Coritiba para o São Caetano acendeu de novo o alerta no Alto da Glória, e ficou claro que a partida de amanhã, às 16h, contra o Santos, no Couto Pereira, é fundamental no plano coxa de chegar à Libertadores. Desapontado, o técnico Paulo Bonamigo pela primeira vez reconheceu que o time não tem mais chances de chegar ao título brasileiro.

E tal desapontamento não foi decorrente apenas da derrota. Bonamigo viu de novo um Coritiba sem qualidade técnica, e que foi presa fácil do São Caetano principalmente no primeiro tempo. “Nós não jogamos, deixamos o adversário tomar conta da partida e acabamos sofrendo dois gols. Aí ficou complicado para recuperar”, reconhece. “Nós poderíamos até pensar em conquista se vencêssemos, mas agora isso é quase impossível”, assume o técnico, ciente dos onze pontos que o Cruzeiro tem de vantagem sobre seu time.

Mesmo com uma relativa melhora na segunda etapa, o Cori parou na melhor defesa do Brasileiro e perdeu a oitava partida fora de casa. “A gente até poderia ter uma sorte diferente se jogasse como no segundo tempo. Mas tem muita coisa errada, e a gente precisa corrigir isso logo”, afirma o goleiro Fernando. “Nós perdemos aquela qualidade de jogo fora de casa”, completa Bonamigo.

Isso porque o rendimento longe do Alto da Glória caiu muito no segundo turno. “Nos últimos três jogos (Guarani, Atlético e São Caetano) nós não tivemos personalidade, e acabamos nos perdendo”, diz o treinador coxa. Isso fica claro quando se vê que, nesses três jogos, o time recebeu quatro cartões vermelhos: Edu Sales, Reginaldo Nascimento e dois para Odvan.

E, para piorar, o rendimento técnico dos jogadores caiu. Nem mesmo alterações táticas promovidas por Bonamigo surtiram efeito. “Nós temos que conversar para entender o que realmente está acontecendo. Chegamos a um momento decisivo, e não podemos errar como estamos errando”, confessa o técnico alviverde, que também percebeu a ausência de poder de reação do Cori. “Nós não estamos mais conseguindo recuperar os resultados fora de casa.”

Por isso é tão importante vencer o Santos. Mais que diminuir a diferença, que agora é de cinco pontos, a partida pode servir para recuperar o elenco e aproximar-se significamente da Libertadores. “O jogo virou uma final para a gente”, diz Bonamigo. “Nós temos que esquecer o São Caetano e pensar só no Santos. Precisamos muito de uma vitória”, finaliza o atacante Helinho.

Serviço

Para o jogo de amanhã, a expectativa é de um público superior a vinte mil pessoas no Alto da Glória. Os ingressos são vendidos nos seguintes preços: arquibancada, R$ 15,00; cadeira inferior (as da Rua Mauá estarão liberadas), R$ 30,00; cadeira superior, R$ 50,00. Menores de 12 anos, maiores de 60, mulheres e estudantes pagam meio-ingresso em todos os setores do estádio.

Os locais de venda são o Couto Pereira, as lojas do Coxa nos Shoppings Total e Cidade, as lojas Alfaluz nas ruas Carlos de Carvalho e Tibagi, as lojas Trio de Ferro no shopping Estação e em Santa Felicidade, a loja do Candeias na Rua Marechal Deodoro e a panificadora Réus, em Pinhais.

Técnico terá de mudar novamente o time

Cristian Toledo

Para o jogo contra o Santos, o técnico Paulo Bonamigo vai tentar mais uma vez encontrar a formação ideal do Coritiba.

Após a saída de Tcheco, foram testados vários jogadores e sistemas táticos, mas apenas no jogo contra o Goiás houve bom rendimento. Por isso, o técnico vai mudar de novo a equipe, recolocando Edu Sales e buscando reforçar o ataque alviverde.

A intenção do treinador coxa é esquecer o quanto antes a derrota em São Caetano. “Não adianta ficar remoendo isso por mais tempo. Nós temos um jogo decisivo no sábado”, recomenda Bonamigo, que aproveitou a conversa que teve com o elenco antes do treino de ontem para “remotivar” o grupo. “Nós não chegamos aqui por acaso, e é isso que temos que mostrar”, avisa.

E para conseguir isso, Bonamigo vai lançar mão de uma nova formação. Desde que Tcheco deixou o Alto da Glória, o Cori sofre para encontrar um substituto – que o próprio treinador reconhece que não tem no elenco. Por isso, houve várias tentativas, e a que melhor rendeu tinha Lima e Fávaro auxiliando Jackson na criação e Marcel na frente. Só que esse quarteto esteve bem contra o Goiás, mas não rendeu da mesma forma no Atletiba.

Seguindo sua busca, Bonamigo tirou Lima e colocou Djames, que fez um primeiro tempo ruim e um segundo razoável contra o São Caetano. Mas como foi o primeiro jogo do meia como titular (além de ser um dos cobradores oficiais de faltas e escanteios), o técnico não vai tirá-lo do time contra o Santos. “O Djames vai continuar jogando”, confirma.

Com isso, deve sobrar para Alexandre Fávaro. O “Príncipe” foi substituído por Helinho no intervalo do jogo em São Caetano, e Bonamigo deve tirá-lo para promover o retorno de Edu Sales. “Eu preciso ter maior entrosamento, e como o Edu está à disposição, eu estou pensando em colocá-lo”, conta o treinador alviverde.

Desfalques

O Coritiba ficou de novo sem sua zaga titular. Odvan (que foi expulso) e Reginaldo Nascimento (terceiro amarelo) estão suspensos, e como Danilo também está fora, com uma fratura no nariz, Bonamigo ficou sem três zagueiros. Ele já confirmou a entrada de Edinho Baiano, e espera a recuperação de Nivaldo – ele e Fabrício disputariam uma posição ao lado de Edinho e Willians.