Orlando kissner
Borges voltou aos treinos e está escalado para o jogo de amanhã.

Exatos três dias após se despedir do Paraná Clube, o atacante Borges foi reintegrado ao elenco. E agora, para ficar. A transação para o Betis ?melou? e seus empresários asseguraram não haver nenhuma possibilidade de o atacante ser negociado antes do término do Brasileirão. O artilheiro já treinou ontem e tem presença assegurada no jogo de amanhã -às 16h, no Willie Davids -, frente ao São Paulo. Borges deixou transparecer que houve falha de seu procurador no processo.

?Não sou moleque. Fui orientado para não viajar a Goiânia, pois teria que seguir o quanto antes para a Espanha. Só que nem a passagem chegou nem o dinheiro foi depositado?, desabafou o jogador. ?Volto aos treinos com muita vontade e pronto para jogar, se o treinador assim quiser. O que eu não poderia fazer é ficar deitado em casa, apenas esperando as coisas acontecerem.? Borges assegurou que a transferência frustrada não irá desmotivá-lo. ?Tô louco para jogar. Pior para o São Paulo?, disparou.

O técnico Lori Sandri, sem papas na língua, assegurou a escalação de Borges frente ao São Paulo, quase que num tom de que o Tricolor ?será Borges e mais dez?. Principalmente diante da ausência de André Dias, suspenso. Lori isentou o atacante de qualquer culpa em todo o processo e aproveitou para criticar abertamente o procurador do atleta, Márcio Rivellino. ?Quem deveria estar aqui, dando explicações, era ele (Rivellino) e não eu ou o Borges?, disse. ?O procurador foi e continua sendo infantil.?

O fim da negociação com o Betis representa, para o clube, a não entrada de uma receita significativa (cerca de R$ 800 mil), mas a repercussão foi positiva. ?Nossa intenção foi e continua sendo a manutenção deste grupo para que sigamos com uma ótima campanha. Com Borges, que é um profissional correto e um grande jogador, nossa trajetória poderá ser ainda mais expressiva?, resumiu o vice de futebol José Domingos.

?Havíamos alertado o Rivellino para agir com maior cautela, pois uma transação deste porte não se resolve na correria. Agora, é esquecer o que passou?, disse Domingos. Os diretores da LA Sports, empresa que detém 60% dos direitos econômicos do atleta, evitaram críticas a Rivellino. ?Ele agiu de boa-fé e acreditou em um agente que intermediava a negociação com o Betis?, disse Luiz Alberto Martins de Oliveira Filho. Indagado sobre seu relacionamento com Rivellino, a partir de agora, Borges disse: ?Melhor eu não falar nada, nesse momento, pois não quero criar polêmica?.

Os companheiros acreditam que a qualidade de Borges – que já está adaptado ao grupo – será um ponto de desequilíbrio favorável ao Paraná. ?Ele é um atacante acima da média. Para nós, sua permanência é muito boa, pois não se encaixa um jogador no sistema de jogo de uma hora para a outra?, lembrou o zagueiro Daniel Marques. Alguns torcedores que estiveram na Vila Capanema também comemoraram a ?volta? do artilheiro.

Lori só define o time hoje

O técnico Lori Sandri comanda hoje pela manhã um treino tático onde irá definir a equipe que encara o São Paulo. Disse ter algumas opções para a composição do meio-de-campo, que voltará a ser formado com um jogador de criatividade. Só que, ao que tudo indica, esse meia não será Thiago Neves, que na avaliação do treinador ?não vive um bom momento?.

A montagem da equipe não é a única preocupação de Lori Sandri. Ele se mostra receoso com a constante pressão que o São Paulo está tentando exercer sobre os árbitros. ?Toda rodada é a mesma coisa. Eles perdem e os dirigentes acusam árbitros e assistentes. A CBF deveria dar um basta nisso?, disparou. ?Felizmente, o Gaciba é um árbitro honesto e muito bom. Espero que ele e os assistentes não se deixem levar por esse clima que o São Paulo vem criando.?

Lori assegurou a manutenção de Darci na meta, ante o veto a Flávio, lesionado. Também antecipou a volta de Vicente à lateral-esquerda e a presença de Mário César no meio-de-campo. Como pretende formar o ataque com Borges e Wellington Paulista, a única dúvida fica no meio-de-campo, entre Flávio Alex e Maicosuel. Thiago Neves ?corre por fora? nessa disputa e só será titular se o técnico decidir efetuar alguma ?surpresa tática?.

?Quero antes ver a escalação do São Paulo e depois defino meu time?, explicou. Se o tricolor paulista for escalado com duas linhas de quatro jogadores, Lori pode fazer alguns ajustes no setor ofensivo do Paraná. Para seguir numa posição de destaque – e até brigar pela liderança – uma vitória, amanhã, é fundamental. Depois dessa rodada, o Brasileiro terá uma paralisação de dez dias, onde o clube pretende definir algumas contratações e a comissão técnica terá tempo para ?lapidar? a equipe com serenidade.