Rio – Seis gols, pelo menos dois deles de raro talento, poucas faltas, boas jogadas de ataque e emoção até o fim da partida. Este é o resumo do empate, por 3 a 3, entre Botafogo e Fluminense, ontem, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. O Alvinegro teve fôlego para empatar a partida nos minutos finais do clássico, com gol de Têti. Apesar da boa atuação e do espírito de luta dos atletas, o clube de General Severiano ainda é o lanterna do Nacional, com seis pontos em onze jogos.

Para o Fluminense, o resultado teve um sabor amargo, pois vencia por 3 a 2 e cedeu o empate ao Botafogo, aos 48? da segunda etapa. O time tricolor totalizou 15 pontos e se distanciou dos líderes da competição. O goleiro Fernando Henrique, o meia Roger, o lateral-direito Ruy e o volante Carlos Alberto brilharam no clássico.

O início do confronto foi favorável ao Botafogo, que teve mais a posse de bola e tentou explorar os avanços de Ruy, melhor opção de jogadas de ataque da equipe alvinegra. Com menos de 15?, Camacho arriscou três chutes a gol – apenas um exigiu bom reflexo de Fernando Henrique.

Até que, aos 16?, Camacho lançou Almir, que passou na corrida pelo zagueiro Rodolfo e chutou forte, sem chance de defesa para Fernando Henrique: 1 a 0. Nem deu tempo da torcida alvinegra comemorar e, um minuto depois do gol alvinegro, o Fluminense empatou. Júnior César driblou o volante Tiago Xavier na grande área e foi derrubado com um pontapé. O juiz assinalou pênalti cobrado por Romário: 1 a 1.

O gol despertou o meia Roger, até então apático na partida. Aos 23?, o atleta protagonizou cena de raro talento: driblou, de letra, Tiago Xavier na grande área e chutou cruzado. A bola acertou o lateral-esquerdo Daniel e entrou, para delírio da torcida tricolor: 2 a 1. Apesar da comemoração pela brilhante jogada, o juiz reserva pôs na sumula gol contra do atleta do Botafogo.

A segunda etapa começou com o Botafogo buscando o ataque e o Fluminense recuando a marcação da equipe, a fim de explorar o contra-ataque. Aos 9?, Romário deu bom passe para Roger, que de fora da área acertou o travessão. Fernando Henrique fez duas boas defesas em chutes de Camacho e Schwenck.

Carlos Alberto entrou no lugar de Tiago Xavier e melhorou o desempenho do Bota. Aos 28?, ele arriscou chute de fora da área, a bola resvalou nas costas do meia Roger e entrou no ângulo direito de Fernando Henrique: 2 a 2. A exemplo do que ocorreu no primeiro tempo, o Fluminense não tardou para reagir.

Dois minutos depois o meia Roger tabelou com o Arílson, que acertou forte chute cruzado no ângulo esquerdo de Jefferson: 3 a 2. O Botafogo não se acomodou e buscou o ataque até o fim. Foi recompensado aos 48?. Carlos Alberto lançou Têti, que dominou no peito e chutou com precisão, fora do alcance de Fernando Henrique: 3 a 3.

Ficha técnica

Gols: Almir, aos 16?, Romário, aos 18? e Róger, aos 23? do 1.º tempo; Carlos Alberto, aos 28?, Arílson, aos 30 e Têti, aos 48? do 2.º. Fluminense: Fernando Henrique; Leonardo Moura, Antônio Carlos Rodolfo e Júnior César (Arilson); Diego, Maicon, Thiago (Alan) e Roger; Marcelo (Fábio Bala) e Romário. Técnico: Ricardo Gomes. Botafogo: Jefferson; Rafael Marques, Fernando e Gustavo; Ruy, Tiago Xavier (Carlos Alberto), Valdo, Camacho (Têti) e Daniel (Renatinho); Almir e Schwenck. Técnico: Mauro Galvão. Cartão amarelo: Tiago Xavier e Gustavo. Renda: R$ 85 mil. Público: 10.647 pagantes (12.552 total).