Na contagem regressiva para assegurar uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores, o Botafogo recebe a Chapecoense, nesta quarta-feira, às 19h30, no estádio Luso Brasileiro, no Rio, pela 35.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com boa vantagem na disputa com os rivais e com apenas mais quatro rodadas em disputa, o time alvinegro mira duas vitórias na semana para garantir a classificação e começar a planejar a próxima temporada.

Na quinta colocação com 55 pontos, o Botafogo já abriu cinco de diferença para o Corinthians, primeira equipe fora da zona de classificação para o torneio continental. Sem objetivo no Brasileirão – mas está na semifinal da Copa Sul-Americana -, a Chapecoense está na 10.ª posição, com 46 pontos.

Invicto há sete jogos, o Botafogo tem a segunda melhor campanha do segundo turno com 32 pontos, atrás do Palmeiras, que também é o líder geral. A boa fase da equipe faz com que a diretoria já comece a planejar a próxima temporada, com negociação em andamento para a renovação do técnico Jair Ventura, que assumiu o cargo após a saída de Ricardo Gomes para o São Paulo.

O novo treinador tem retrospecto positivo com 11 vitórias, 2 empates e cinco derrotas nos 18 jogos sob o seu comando. Apesar da semana livre e de ter apenas o desfalque de Luis Ricardo, que só volta a atuar em 2017, Jair Ventura não confirmou o time. A dúvida é no meio de campo entre Rodrigo Lindoso e Diogo Barbosa, que está recuperado de lesão.

A última vez que o Botafogo foi derrotado no Brasileirão foi na 27.ª rodada, contra o lanterna América-MG, em Belo Horizonte, confronto que foi lembrado na véspera de enfrentar a Chapecoense. “É uma partida perigosa, como foi contra o América, porque o time fica sem responsabilidade. A Chapecoense não tem mais chance de cair, vem leve. É um time muito competitivo, parecido com o nosso, luta bastante. Vai ser um jogo muito difícil”, avaliou o treinador.